Aprender a namorar

Como me deixei levar por opiniões políticas malucas no Ensino Médio

2020.10.01 16:18 AlwaysHope22 Como me deixei levar por opiniões políticas malucas no Ensino Médio

Tenho 20 anos atualmente e é, cheguei a conclusão q me envolvi com gente maluca e que sou extremamente patético.
Quando entrei no ensino médio (com técnico em eletrônica), eu tinha tido experiência traumáticas no fundamental (q prefiro n falar aq) e meu pai estava desempregado com o começo da crise lá em 2014. Sempre fui daqueles jovens mais retraídos, n gostava mt de conversar e vivia no mundo da lua. Quando comecei o ensino médio, no entanto, eu tava tendo bastante dificuldade em fazer amizades, até eu me encaixar em um grupo de um pessoal q gostava de jogos (q era o meu gosto), mas além disso, política. Passou um tempo, e todos eles passaram a se chamar "libertário". Me explicavam q coisas como o salário mínimo e direitos trabalhistas eram ruim pq ai o cara contrata só 1 pessoa ao invés de 2 ou 3 pra fazer um trabalho e isso gera desemprego, ou q coisas como machismo, racismo e homofobia deveriam ser combatidas mas no fim era questão de opinião (mas em todo o círculo consideravelmente grande de mais de 10 pessoas, a única minoria q existia ali era um negro - e n ajuda o fato do curso ser majoritariamente masculino), ou que a liberdade deve ser absoluta. Enfim, como eu n gostava o suficiente de política, nem fiz questão de procurar mais a fundo.
Deu uns anos e eu comecei a me sentir, diariamente, extremamente melancólico por nunca ter conseguido me envolver amorosamente com alguém (já havia me sentido assim no fundamental, tem a ver com o trauma q eu falei antes). Ai eu cheguei no fundo do posso, um dos meus amigos me apresentou o /r9k/ (4chan) e quando lia alguns relatos sobre a vida das pessoas ali eu me enxergava e caia num marasmo ainda maior, como se tudo tivesse perdido e nada mudaria (é tipo um desabafos, mas com todo tipo de incel). Nesse momento eu comecei a aprender sobre MGTOW e é, acho q vcs já sabem q caminho levou. A maioria lá em 2018 tava full confiante no Biroliro. Eu tinha certo receio, fui de Amoedo no primeiro turno, mas eles n gostavam dele pq achavam ele um "cuck". Ai no segundo, n teve jeito, sai da urna sabendo q tinha feito merda "pro pate n ganha". Enfim, me formei pouco tempo depois e reduzi bastante o contato com eles (mas ainda falava e falo as vezes).
Ano passado, por algum milagre divino, comecei a namorar uma garota durante a faculdade q se considera bi, e tem amigos LGBT. E foi cada relato q eu ouvia dela q me deixaram em choque, além de uma vez q a gente ajudou uma garota lésbica q havia sido expulsa de casa por isso. Acho q ali eu me toquei "cara, isso n pode ser questão de opinião cara". Também percebi q ela nunca foi com a cara deles, e ai comecei a entender o motivo. E agr, na pandemia, eu n sai de casa pra nada tirando ir fazer compras com minha namorada (a gente mora junto). E esse tempo afastado desses amigos me fizeram perceber com q tipo de gente q eu me envolvi. Até poucos dias atrás, um deles tava dizendo q era um gripezinha, outro q a amazônia tinha q torrar mesmo, outro q escola era lugar de doutrina. E ai, como n tinha mais nada pra fazer, resolvi, pela primeira vez, pesquisar mais a fundo sobre como funciona política (as aulas de humanas no meu ensino médio eram, no mínimo, beem fracas), pra chegar a conclusão q nem de direita eu sou.
E agora, chegamos no momento atual. Graças a deus n conheço ninguém pessoalmente q tenha pego covid (acho q isso mostra mais o quão limitado minha vida social é do q qualquer outra coisa) e meu pai está pra conseguir um emprego depois de todos esses anos. Mas mesmo assim, n impede eu de tar tendo "breakdowns" diários. Uma mistura de culpa por tudo q está acontecendo, com raiva de mim mesmo por ter me deixado levar assim. Minha namorada sugeriu q eu começasse a fazer terapia, mas n sei se agora é uma boa hora ou eu espero acabar a pandemia. Eu tbm n sei se deveria cortar relações com esses amigos, já q tenho várias lembranças boas com eles tbm, fora q penso q gente "do outro lado" n me aceitaria pelo q fiz de qualquer forma. Também já deixei de acessar o 4chan já faz mais de um ano, embora eu ainda entre em alguns sites de memes.
Acho q é isso. Se eu pudesse defender 2 ponto fortes agora, eleições ranqueadas e serviço de psicologia mais presente no ensino médio evitariam grande parte desse shitstorm todo. E se você q leu até aq é jovem, por favor, filtre bem o tipo de amizade e as opiniões deles. E por fim, fiquem em casa e usem máscara sempre - n q vcs precisem ouvir isso de um ser humano patético como eu, mas acho sempre importante lembrar.
submitted by AlwaysHope22 to desabafos [link] [comments]


2020.09.04 18:33 DanteStonecross Senta que la vem história

Eu to a algum tempo lendo e comentando coisas nesse /, e eu sempre quis dizer varias coisas aqui, porque de algum jeito eu me sinto confortável de ver essas coisas e todos vocês, mesmo discordando com algumas pessoas aqui e ali ta tudo bem, discordar é normal, faz a gente mais humano.
Mas eu queria muito contar uma história aqui hoje, é uma jornada importante pra mim, e eu espero que vocês gostem de me ver aprendendo uma coisa muito complicada. Nessa história, todos os nomes serão fictícios, e será um resumo muito resumido, então a grande maioria dos fatos não está aqui, mas o que isso tudo me ensinou, você vai poder ver com certeza.
Eu sempre fui um Romântico, e quando eu digo Romântico, eu falo da escola literária, eu não uso aquele português difícil, mas eu enxergo o mundo de uma maneira similar, eu vivo os momentos com as pessoas com intensidade, com muito sentimento, e os momentos seguintes a esses vem a melancolia.
A primeira vez que eu me apaixonei quando tinha 11 anos, o mundo se tornou diferente pra mim, era como se de repente todo o resto fosse preto e branco, e apenas aquela garota fosse colorida(eu tenho essa história contada em um texto, que é o ponto inicial da minha depressão, escrito exatamente como aquela criança enxergava o mundo, se ao final alguém se interessar eu mando sem problemas).
E, perto se fazer 14, em 2013, eu conheci uma garota muito mais do que bonita, ela era simplesmente divina aos meus olhos, ela era tão incrível, ela tinha absolutamente tudo que eu gostava. Eu conheci a Ágata dando aulas de matemática(o que mais um nerd faz?) e algo me chamou muita atenção: mesmo com 13 anos eu já tinha dado muitas aulas pra muitas pessoas e todo mundo tem um limite, todo mundo desiste(pede uma pausa) depois de X questões, mas ela não, mesmo sem entender muitas coisas ela persistia até o fim tentando entender tudo, até o horario dela ir embora ela continuou la, com o caderno e a caneta fazendo de tudo pra conseguir entender.
Bons meses depois Ágata se tornou minha melhor amiga(embora no início ela respondia minhas mensagens a cada 3 semanas, sem exagero!), e mais um tempo depois e muitos conflitos com a família dela, a gente começo a namorar.
Eu ainda não posso explicar o que era a sensação de namorar com ela, ela era literalmente o que todo garoto sempre sonhou: baixinha, cabelo cacheado, um rosto muito agradável, um sorriso lindíssimo, peitos e bunda enormes(ENORMES), cantava feito um anjo, era popular, divertida, extrovertida, dedicada, esforçada... É uma lista de qualidades que, na época, transbordava.
De 2014 até 2019, nós tivemos 3 anos de relacionamento e 5 anos de amizade, e eu aprendi muito mesmo em todos esses anos. O motivo do término do relacionamento(numa versão em resumo do resumo do resumo) foi, principalmente, possessão. Eu tenho um pai que é extremamente possessivo e eu levei 14 anos pra sair das garras deles(ou seja, ainda era recente quando eu conheci ela), e 1 ano depois do namoro ela começou a querer cada vez mais a minha atenção, onde eu não sentia mais liberdade pra fazer coisas que eu queria, porque eu tinha que ficar 3 horas falando no telefone com ela(e eu nem gosto de falar no telefone).
Não me entendam mal, eu não estou dizendo que fui perfeito, que não tive defeitos ou que só eu que estava passando por problemas, acabou porque precisava acabar. Inclusive se você, Ágata, por algum motivo descobriu o reddit e se reconhecer nesse post, saiba que mesmo não mais falando com você e não conseguindo mais olhar na sua cara(história pra outro dia), você pra sempre terá minha gratidão e meu respeito, nós vivemos muitas coisas juntos e, se hoje eu sou um homem, foi você que o moldou, muito obrigado.
Quando isso terminou, eu comecei a conversar mais com uma outra garota que eu conhecia, estudava na mesma escola que a gente, e conforme eu a conheci, ela começou a conquistar cada vez mais espaço no meu coração.
Carol era uma mulher interessante de várias maneiras, ela era extremamente extrovertida, cantava muito bem, tinha muitas histórias pra contar, era uma das pessoas que mais tinham ficado com gente na escola, e principalmente, ela tinha acabado de ganhar uma filinha. O jeito que a Carol olhava pra filha dela me fazia querer estar por perto, não porque ela parecia uma mãe incrível, mas porque havia uma dualidade dentro dela: aquela criança foi concebida de um estupro, onde foi muito difícil aceitar conceber a criança, quando ela nasceu era completamente visível que ela não sabia o que fazer, ela amava mais do que tudo aquela criança, ao mesmo tempo que ela via o homem que fez isso quando olhava pra ela(graças a deus, isso mudou bem rápido).
O tempo passou e eu e Carol começamos a nos dar muito bem, e em meados de 2019 a gente se beijou pela primeira vez, essa foi oficialmente a segunda pessoa que eu beijei na vida e cara, que coisa mais estranha, eu não sabia nem como descrever o que tinha sido aquilo de tão estranho... Até que ela me beijou uma segunda vez, e ai oficialmente, aquele era o melhor beijo do mundo.
Eu e Carol ficamos mais algumas vezes, e a gente se dava muito bem em tudo, até na cama era muuuuito diferente do que era com a minha ex, e a gente fazia tantas coisas juntos, viamos animes, conversavamos sobre varias pessoas, saíamos pra comprar roupas...
Cada dia que passava o meu sentimento só aumentava, e quanto mais ele aumentava, mais coisas que eu achava incríveis aconteciam, como a gente ver as coisas abraçadinhos, ficar de mãos dadas, varias dessas coisas de casal.
O meu erro? Carol desde o inicio falou "Não se apaixona por mim, eu não me apaixono por ninguém". Eu segui essas instruções o quanto foi possível, mas cara, talvez fosse loucura minha, mas parecia muito que ela também estava apaixonada, não com palavras porque toda vez que eu mencionava ela mudava a expressão e o jeito por um tempinho, mas as atitudes dela, os nossos momentos...
Depois de um tempo, no inicio desse ano, eu tentei cortar a Carol da minha vida torcendo pra que resolvesse meu problema, e deu certo por 1 mês até que ela me mandou mensagem perguntando quanto tempo isso levaria. Eu dei o meu melhor e coloquei todos os meus sentimentos em um texto, cada palavra continha tudo que eu sentia por ela, e ela também fez um texto de volta pra mim, e eu pude sentir o que ela sentia também, ela queria ser só minha amiga, e nada mais.
Nós ficamos mais 3 ou 4 meses sem nos falar até que, por intermédio de uma amiga em comum, a gente voltou a se falar e, desde então eu vi Carol mais umas 3 ou 4 vezes, mas é tudo muito estranho, a gente troca mensagens uma vez por semana e olhe la, eu nem acredito que um dia a nossa amizade volte, quanto mais a gente ficar ou coisas do tipo.
Mesmo com tudo isso, ela sempre viveu no meu coração.
Porem aqui vem a lição, meus amigos.
Há semanas atrás, eu consegui contato com uma garota que a gente não se via a muitos, muitos anos. Sabe aquela história de primeiro amor a gente nunca esquece? Esse foi meu segundo, e o que eu verdadeiramente nunca esqueci, eu sempre vou me lembrar do meu primeiro dia de aula numa escola completamente nova, e no fim do dia eu ainda todo perdido uma garota me puxa, me olha nos olhos e a primeira coisa que ela diz pra mim é: "Você namoraria comigo?". A resposta pra essa pergunta era não, obviamente, foi muito aleatório, mas eu estava tão nervoso que saiu "sim", ela deu um sorrisinho e voltou ao que tava fazendo. Desde aquele dia, Livia se aproximou cada vez mais de mim, e ela tentou me conquistar todos os dias, e acreditem em 2012/13 eu não era naada fácil.
E quando eu consegui falar com ela novamente, alguma coisa dentro de mim estalou, a gente voltou a conversar e era como se nada tivesse mudado, a gente conseguia desenvolver do mesmo jeito que a gente sempre fez, nem parecia que tinham 7 anos sem contato. A gente se viu algumas vezes(sim, eu sei que a gente ta de quarentena, todas as medidas de seguranças foram tomadas pra gente conseguir) e, cara, eu tinha me esquecido o que é olhar pra alguém que te olha como se você fosse uma obra prima, aquele olhar de quando éramos crianças não mudou nem um pouquinho, ela ainda olha pra mim como se eu fosse a pessoa mais legal do mundo.
Eu, com todos os meus defeitos, com todas as minha chatisses e meu jeito ""inteligente"" de ser, onde a lista de qualidades é exatamente igual a lista de defeitos, ela me vê como se fosse alguém muito mais do que incrível.
E eu olho pra ela assim também, e quando eu a olho, eu quero que ela sinta a pessoa incrível que eu vejo, uma pessoa que passou por inúmeros problemas pelo mundo afora e ainda passa, alguém que realmente foi a raiz do meu gosto pelas mulheres, que me ensinou que atitude é a melhor caracteristica possível em alguém, e que eu quero alguém com isso na minha vida, alguém que tenha coragem de me puxar pelo braço e dizer que me quer, alguém que queira os meus toques, alguém que querias os meus carinhos, as minhas massagens, os meus abraços, as minhas implicações, assistir animes ou séries comigo, beber comigo, aprender e viver todo tipo de experiências e situações. É isso que eu quero com ela também!
Esse é um pedacinho da minha odisseia, eu pedi a Deus, ao universo, a seja la o que for que estiver ai fora por nós, pra que 2020 seja um ano de apredizados e conquistas, 2020 foi o ano mais difícil da minha vida, onde por conta de um treinamento pra competição, da pandemia(home office) e tambem por causa de ter a Carol na minha cabeça, eu passei pela pior fase da minha vida, mas eu consegui correr atrás de ajuda a tempo(onde eu devo a minha vida a minha hipnoterapeuta, que mulher excepcional) e, no final dessa jornada, eu cresci muito e me tornei bem mais forte.
Muito obrigado, eu deixo aqui os meus agradecimentos a todas essas garotas, que me mostraram quem eu quero junto a mim e quem eu quero ser, a minha mãe que é a melhor mãe do mundo e, mesmo a gente se desentendendo as vezes, eu não resistiria sem ela, a minha hipnoterapeuta que consegue a façanha de me colocar em transe(hipnose ericsoniana é a melhor, sem dúvidas!) e que me ensinou muuuito mais lições do que eu teria aprendido em 20 anos da minha vida.
E principalmente, muito obrigado a mim mesmo, por ter aguentado até aqui, por nunca ter parado de ir pra frente mesmo pensando todos os dias em desistir, em jogar tudo pro ar, pensando até em coisas muuito, mas muuuuito mais escuras nos dias mais dificeis, mesmo assim nós estamos aqui, prontos para a proxima jornada, onde a gente vai sofrer, mas a gente vai aprender algo a respeito disso no final.
Se você chegou até aqui, meu caro amigo, eu só queria te contar a história de como eu descobrir o que, pra mim, é o amor. Amor é o que eu sinto quando olho pra alguém que também me devora com o olhar e as atitudes, amor não é toda a intensidade, todo o fogo, toda a loucura, não! Pode ser um pouco disso, mas principalmente, amor é reciprocidade, é você não ter que se esforçar em mudar 1001 coisas só pra agradar a pessoa, quem você ama e quem te ama de verdade gosta de você por ser quem você é, e é isso que eu quero pra minha vida, amar e ser amado!
Eu não sei se eu e Livia vamos ficar juntos, a gente deve descobrir mais a frente, mas eu sei que eu quero isso, e se o destino(ou o universo, ou deus...) não permitir que a gente fique junto, tudo bem, eu sei agora o que procurar, e que vai existir mais alguém que olhe pra mim do jeito que eu olho pra ela.
submitted by DanteStonecross to desabafos [link] [comments]


2020.08.31 05:18 _powerguido_ Senta que lá vem história

Ficamos juntos por 5 anos. E não foram 5 anos fáceis - minha ex namorada teve problemas que eu não sabia como ajudar. Ela era literalmente stalkeada por um ex colega de classe que simplesmente se apaixonou por ela e passou mais de dois anos perseguindo ela no trabalho, no mestrado, na academia. Chegou a conspirar com colegas da faculdade pra saber onde ela estava, quem eram as pessoas próximas dela. Tentou rapta-la, mais de uma vez. Subornou familiares para ficarem do lado dele. Pra ela, ele era só um cara que não sabia expressar os sentimentos bem. Se ele parou? Não. Mas reduziu a agressividade consideravelmente e hoje em dia se limita à "só" mandar um buquê de rosas no aniversário dela.
O cara já estava tão enraizado na vida dela antes de eu aparecer, que eu simplesmente não consegui convencer nem mesmo a minha ex de que ele era um cara realmente transtornado. O terror que era esse cara na vida dela só serviu pra agravar ainda mais o caso grave de ansiedade que ela tem. Vocês sabem o que é ver uma crise de ansiedade pela primeira vez, sem nem entender o que estava acontecendo? Mas uma crise grave mesmo, de fazer a pessoa chorar por duas horas sem parar, de ficar arranhando o corpo todo com as unhas e viver com hematomas nos membros do corpo por causa disso. E isso começou a ficar constante... uma hora eram uns arranhados no rosto, depois nas pernas. Até o dia em que eu fui ver ela e os dois antebraços estavam quase em carne viva.
E o pior, é que eu quase nem me lembro mais dessa época. Foi muito intenso e me afetou negativamente por muito tempo. Eu conseguia entender que um babaca machista se via no direito de perseguir uma mulher só porque ela não queria namorar com ele - mas meu deus do céu, eu com certeza não conseguia entender como ela mesma não via o quanto ela precisava de uma ajuda profissional por causa da influência negativa desse cara na vida dela (e por vários outros motivos que não valem nem a pena serem citados). Ela me usava como substituto pra tudo que ela não tinha na vida dela - um pai, um irmão, um psicólogo, um amigo. E eu me deixei levar, porque era ingênuo. Porque era meu primeiro namoro. Porque eu achava que eu podia consertar isso. "Depois das primeiras sessões no psicólogo ela vai perceber que esta fazendo bem pra ela", eu dizia pra mim mesmo. Passamos em tantos psicólogos, psiquiatras, gurus. Fizemos academia juntos, eu praticamente morava com ela e não ficava mais com minha família. Eu achava que eu podia dar um jeito na vida daquela menina.
E sinceramente? Eu podia mesmo. Eu não acho que falei alguma coisa errada pra ela em todo o tempo que estávamos juntos. Mas ela nunca me ouvia. E se ela ouvisse, talvez ela tivesse passado por essas situações com mais facilidade, nosso relacionamento teria tomado outros rumos e nós ainda estaríamos juntos. Mas não estamos, e quem está perdendo com isso é ela, porque ela não me superou com certeza. Ela mesma me fala isso.
Eu não acho que eu era um namorado incrível e maravilhoso. Eu nunca tive um carro pra conseguir dar um rolê com ela. Com meu dinheiro mal dava pra gente ir no cinema uma vez por mês. Mas cara, eu me esforçava tanto, tanto mesmo. Lembro que eu um dos dias dos namorados eu quase varei a noite fazendo uma carta à mão de umas 10 páginas, tinha vários desenhos coloridos, poemas apaixonados e promessas de amor. Ela achou ok. Gostou mais do bicho de pelúcia que eu também dei, que custou 10 reais e que claramente não tinha nenhum valor sentimental pra mim. É muito difícil lidar com um cara que persegue sua namorada, mas acho que é mais difícil quando sua própria namorada não dá valor pra como você expressa seu amor por ela.
Mas você leitor deve estar pensando "Mas você disse isso pra ela?" E a resposta é sim. Eu sempre fui sincero com ela, se algo me chateava, eu dizia. Nada do que eu estou escrevendo aqui é algum segredo pra ela. E eu achava que ela ia trabalhar essas informações pra criar um relacionamento mais confortável pra mim e pra ela. Mas ela escolheu ignorar.
Mas o motivo de eu estar escrevendo tudo isso mesmo na verdade é outro. A gente terminou, mas foi razoavelmente tranquilo e decidimos continuar nos falando. Nós dois somos adultos, não é porque discordamos de alguns pontos que precisamos deixar de apreciar a companhia um do outro pra todo o sempre.
E é aqui que sou obrigado a voltar pro começo do nosso namoro. Porque apesar de termos iniciado o namoro cada um com mais de 30 anos, perdemos a virgindade juntos. Crescemos sexualmente juntos. Aprendemos tanto juntos! Eu mais ainda, visto que era meu primeiro namoro. E eu reclamei muito aqui da minha ex (e ela realmente tem os defeitos muito marcantes dela), mas eu também preciso admitir que ela em muitos momentos foi tão minha parceira, minha confidente, minha amada. Eu passei calado por todas as situações que eu já descrevi aqui e muitas outras tão ruins quanto porque, no fundo mesmo, pra mim estava valendo a pena. A gente tinha intimidade, apesar da dificuldade extrema dela de se abrir pra mim. Eu estava sacrificando meu bem estar mental e físico para sustentar o nosso relacionamento.
Tanto que só perto do final do nosso relacionamento que ela assumiu pra mim a atração por outras mulheres. Eu entendo ela, tem gente que não reage bem à isso. Eu tenho certeza que a família dela não reagiria nada bem. Entendo que era um segredo que ela queria deixar só pra ela, e que mesmo com toda a intimidade sexual que a gente tinha, ela também tem o direito de manter coisas só pra ela. É justo.
Só que eu não fiquei com raiva, nem com medo de ela querer me trocar por uma mulher, nem tive essa ideia fetichizada de transar com duas mulheres ao mesmo tempo. Eu sou um cara hétero, mas eu acho o amor lésbico de uma sensibilidade e de uma beleza inexplicável. Eu sempre me sinto mais seguro perto de mulheres, sempre me conecto mais com elas. Desde pequeno eu gosto da presença feminina. Então a ideia de duas mulheres partilhando um relacionamento, parece uma coisa quase mágica pra mim. E de novo, não é nada sexual nem fetichizado, eu realmente só acho muito bonito mesmo. Então qual foi minha reação quando descobri que minha ex tinha vontade de viver isso que eu acho tão incrível? Incentivei ela à correr atrás disso.
Mas é claro que ela, criada numa família extremamente católica, iria simplesmente sair atrás de uma guria do dia pra noite. Foram meses de conversa, de aceitação da parte dela também, de entender que ela não era uma aberração da natureza porque sentia atração pelo mesmo sexo (e também pelo sexo oposto). Nossos últimos meses juntos foram repletos de muitas conversas relacionadas ao mundo LGBT+ e afins. Acho que nós dois também já sabíamos que as coisas não estavam mais super bem entre nós, e que era questão de tempo até a gente se separar. Nosso relacionamento estava bem desgastado mesmo. É estranho porque a gente consegue ser extremamente forte pra parceira quando ela precisa ir correndo pro hospital, ou tem uma crise de pânico, ou não se sente segura na rua e precisa que você pare o seu dia para fazer companhia à ela - mas parece perder a motivação quando essas situações se normalizam e você percebe que talvez aquela pessoa simplesmente não tem a proatividade de te mandar uma mensagem perguntando "como foi seu dia", e de alguma forma sempre está online no whatspp. Sim, nosso relacionamento acabou. E foi bom ter acabado. Eu precisava desse término, muito mais do que eu precisava de uma namorada.
Mas também é muito bom saber que aquela pessoa por quem você passou anos cultivando um sentimento também está vivendo a vida dela. É bom saber que dá pra gente marcar um dia pra devolver as roupas dela que ficaram aqui em casa, sem drama, sem dor de cabeça. Ela foi muito madura no término, eu também. De certa forma nosso namoro acabou, mas continuou como uma amizade - bem menos intensa, bem menos problemática, bem mais fácil de lidar. Mas também sem as partes boas, sem aquela sensação de que se está ajudando a pessoa. Mas é muito mais do que milhares de pessoas separadas têm hoje em dia. Não posso reclamar, eu tenho muita sorte.
Eu só queria mesmo poder partilhar com ela a experiência da descoberta homoafetiva dela. O que não vai acontecer, já que ela já deixou claro que não é obrigada a revelar nada da vida pessoal dela agora que nosso relacionamento terminou - e ela tem total razão nisso. Eu sei disso, eu concordo com isso, e ao mesmo tempo eu acho que ela está sendo tão injusta por me negar esse fato.
Eu sei que não justifica, mas eu me dediquei tanto ao nosso antigo relacionamento juntos. Tive que entender que eu não estava mais sozinho no mundo, eu tinha alguém pra dividir o mundo comigo. Eu tive que aprender a baixar minha guarda, contar o que me dava medo, me expor totalmente à alguém, me desconstruir inteiro. E isso é muito difícil pra mim. Eu sei que ela não me deve nada, e eu sei que eu sou um idiota por me apegar tanto à esse motivo tão besta. Mas isso é realmente importante pra mim. Tem uma coisa dentro de mim que é ansiosa em saber se minha ex está se sentindo acolhida por uma outra mulher, se teve uma boa primeira experiência. De novo, eu sei que soa muito trivial, mas é uma verdade tão grande dentro do meu coração que me faz querer chorar quando lembro que isso nunca vai acontecer.
E não tem nada que eu possa fazer a não ser aceitar. E é exatamente isso que eu venho tentado fazer, pelos últimos 6 meses.
submitted by _powerguido_ to desabafos [link] [comments]


2020.08.23 00:19 johnmarston1997 A Odisséia da minha vida sexual (até agora)

Não tenho um motivo pra claro pra escrever este desabafo, além de querer que outras pessoas aprendam com meus erros, e talvez não se sintam tão ruins sabendo que os problemas que elas enfrentam, muitas outras enfrentam também.
Pra começar, desde criança, sempre ouvi que eu era bonito. Tenho olhos azuis, cabelo liso, mas essa bajulação acabou me fazendo mal como vou mostrar mais adiante.
Passei o ensino médio inteiro sem pegar ninguém. Naquela época tinha acabado de virar metaleiro e meu cabelo tava quase na cintura, além do mais não fazia ideia de como chegar em alguém. Teve uma vez que eu cheguei a falar pra uma menina olho no olho que eu gostava dela, sendo que nós nem éramos tão próximos, só que obviamente ela disse não (afinal, o que mais ela poderia ter feito diante de uma abordagem tosca dessa ?).
Enfim, dae fui pra faculdade ainda bv, com 18 anos. Fui fazer o curso de engenharia eletrônica numa federal e até aquele momento as pessoas diziam "é assim mesmo, as coisas vão mudar quando você entrar na faculdade". E de fato, esse pensamento cômodo de que" você é bonito, não precisa se preocupar" me atrasou muito. Nada cai do céu, jovens, nunca se esqueçam disso. Enfim, fui pra algumas calouradas com alguns amigos, e finalmente perdi o bv. Uma menina simplesmente me agarrou e começou a me beijar. Não era nenhuma modelo, mas pra quem tava começando ja tava ótimo. Porém, eu, tabacudo como eu era, não peguei o número dela, e ficou por isso mesmo.
Porém, logo o logo o curso começou a apertar de verdade, e eu não tinha tempo pra mais nada além de estudar. Então passei dois anos sem dar um beijo sequer, sem marcar um encontro, nada.sem falar que ainda era virgem. Meu pai àquela altura já estava começando a achar que eu era gay, então me deu dinheiro e disse pra eu ir contratar uma prostituta. Fiz isso, e apesar de ter perdido a virgindade, o negocio foi uma merda. Nem fez tanta diferença assim no final das contas. O sexo foi completamente desajeitado. Até que com 21 anos, uma menina praticamente caiu do céu no meu colo. Tava no restaurante universitário, tinha acabado de sentar com o meu jantar e a menina da minha frente simplesmente falou comigo dizendo que queria me pegar kkkkk além do mais era razoavelmente bonita, então dessa vez aprendi com os meus erros e peguei o numero dela. Marcamos de jantar e depois consegui convencer ela a ir num motel e finalmente perdi REALMENTE a virgindade com 21 fucking anos.
A partir daí, meu objetivo passou a ser conquistar garotas sem depender da sorte de uma delas simplesmente cair do céu no meu colo. Comecei a usar o tinder pesadamente, e descolei várias transas assim, porém logo percebi que a desvantagem do tinder é que as garotas mais atraentes não o usam, pois não precisam. Dessa forma, você fica restrito às garotas feias ou medianas.
A princípio, isso pra mim não era problema. Tava na minha fase de urubu, pegava qualquer uma que me desse mole.Pegava até mulheres de 40 anos. Só o sexo era importante pra mim nessa época . Mas logo logo fui enjoando. Fui querendo ter algo a mais, comecei a desejar algo que até então nunca tinha tido: um relacionamento. Até agora todos os relacionamentos que eu tinha eram casuais, visando apenas o sexo. Não tinha vontade de namorar nenhuma das mulheres com as quais eu transava.
E assim, percebi que tinha que mudar minha estratégia. Comecei a perceber que pqra arranjar alguém que eu realmente gostasse, precisaria aprender a conquistar alguém ao vivo e a cores, e não por um aplicativo. Isso era algo que eu não sabia fazer( e eu ja tinha 23 anos), mas tinha que aprender urgentemente. Vi todos os vídeos de YouTube possíveis sobre o assunto, e começei a abordar mulheres em baladas e festas, a princípio sem muito sucesso.
As coisas realmente mudaram no Carnaval deste ano. Fui com alguns amigos meus e consegui aprender algumas coisas sobre abordagens. Ao longo do Carnaval, devo ter beijado umas 12 meninas ao todo, sendo que 2 delas resolvi pegar o contato pra depois. A partir de então, finalmente consegui sentir um pouco de confiança em mim mesmo em relação às minhas habilidades Porém, logo, logo, veio a pandemia, e desde março não tenho um encontro, um beijo, nada. E provavelmente vai ser assim pro resto do ano.
Enfim, quis fazer isso pra mostrar que se relacionar não é algo fácil pra muita gente. Pra mim certamente não foi. A sensação que eu tenho é que eu tive que aprender coisas que a maioria das pessoas já naturalmente sabem. Até os 22 anos, não fazia ideia de como pegar alguem. Hoje,não sou nenhum Casanova mas pelo menos tenho uma ideia melhor do que eu devo, ou não devo fazer. Mas no final das contas ainda não arranjei uma namorada depois de tudo isso hahahahahah
submitted by johnmarston1997 to desabafos [link] [comments]


2020.08.12 14:37 TheBlakesD Não aguento mais essa garota

A uns meses atrás eu estava caminhando pela internet quando encontrei um aplicativo de conversa pra aprender inglês, fiz amizades, adicionei no whatsapp e desinstalei. Esse mês de julho eu resolvi instalar novamente pra ver, e foi quando recebi a mensagem dela. Ela é da Europa e nós começamos a conversar sobre tudo até coisas íntimas, adicionei ela no whatsapp e viramos amigos em pouco tempo, até que ela disse gostar de mim, e eu não sentia nada por ela. 3 dias depois ela disse que me amava, que as nossas conversas faziam ela feliz e que eu era um cara simpático. Então resolvi cair nessa e comecei a gostar dela e até "Amar" por assim dizer em questão de dias. A duas semanas ela disse estar falando com um cara fofo, eu achei que era eu e entrei na brincadeira mas descobri que era um colega antigo dela, e ela disse que o amava e começou a gostar de mim apenas como "Amigo", literalmente dizendo que estava errada sobre oque sentia por mim, então eu fiquei tão deprimido, eu tinha dito tantas coisas a ela, me declarado e aquilo me machucou, eu a bloqueei mas fiquei com tanta saudade que desbloqueei no dia seguinte e voltei a falar, mas ela sempre acabava me machucando e eu bloqueei denovo... 1 dia depois fui fraco e resolvi desbloquear novamente, ela dizia estar com raiva mas me perdoo dias depois, e eu ainda sentindo muito por ela, e ela gostando apenas como amigo. Ela arruma novos amigos, começou a namorar e eu fico com tanta vontade de parar de falar com ela pra ver se para de doer. Eu não quero gostar dela, eu não gostava, ela me fez gostar e eu não consigo parar a qualquer custo
submitted by TheBlakesD to desabafos [link] [comments]


2020.08.06 18:04 Yumi-Mochizuki Sou a babaca por não ter tirado minha amiga de um relacionamento tóxico?

Olá Luba, Editores, possível convidado e para todos os animais plantas e átomos que estão lendo ou assistindo, não sei porque não sou vidente.
Bom, essa história é recente, então não tem um final mesmo, apenas...não sei, a parte 1? Porque pelas circunstâncias, parece que ainda vai continuar, mas espero que não continue e quero que aconteça isso com ninguém, então antes de começar quero falar que saiba que nunca, NUNCA incentive aqueles tipos de namoros entre pessoas mais novas com pessoas muito mais velhas, não quero que ninguém, NINGUÉM cometa o mesmo erro que eu, mas cometi ele sem saber dessa parte, então, antes também de namorar, saiba pelo menos a idade do seu parceiro.
Então, faz alguns meses atrás que isso aconteceu, eu jogava um aplicativo que vou chama-lo de CarlsApp (só pela história começar por ele já posso ver que eu sou a babaca por ter ido pra lá) estava eu andando por umas salas de conversa até entrar numa sala onde conheci 5 pessoas, mas iremos focar em 2, vamos chama-los de Rainara, a garota, e Carls, o garoto, conheci Rainara e Carls, pensa numas pessoas legais, engraçadas e fofas, foi assim que pensava dos 2, estávamos conversando de boa nós 6, ficamos super amigos, principalmente Carls, Rainara e eu, ninguém ali se conhecia pessoalmente, todo mundo morava em parte diferente do Brasil, e Carls morava no Japão, então basicamente éramos amigos da internet, tudo de boa, saudável até aí, passou alguns meses e descobrimos que Carls e Rainara se gostavam, muito fofo pra todos nós, um cara legal com uma garota legal, muito fofo, passou umas semanas, e vimos que Carls pediu a Rainara em namoro, mas ninguém sabia se ela tinha aceitado, porque ela estava na dúvida, uma galera incentivava, pra mim estava no "algo de errado não está certo" mas como não via nada de mal então pra mim tanto faz, passou um tempo e comecei a ver que Carls estava dando em cima de mim, fiquei surpresa e ao mesmo tempo fiquei muito sla, não sei dizer, não gostava dele, não sabia muita coisa e muito menos não sabia se a Rainara tinha aceitado, e se sim? Eu não queria ser uma amiga má e corresponder o mesmo que o Carls fazia, perguntei pra ele como forma de mudar assunto (pois tava ficando muito doido o assunto e tava muito na cara que ele estava dando em cima de mim e tava só piorando) se a Rainara tinha aceitado, ele falou que ela não tinha aceitado, tinha ficado triste mas pelo menos tinha eu falando com ele, não estava convencida e ao mesmo tempo fiquei "cara, ele gosta de mim?" Como não sabia de nada , fui perguntar pra Rainara e ela falou que sim, ela tinha aceitado namorar ele, então eu falei logo o porquê tinha perguntado, e ela riu no início e depois pareceu chateada, mas no final da conversa ela simplesmente falou " normal, é o jeito dele", mano, e vamos de corna mansa, porque ele até falou depois que ele tinha até recebido nuds de umas outras garotas e começou a dá mais em cima de umas meninas, inclusive de mim, fiquei enojada porque ele fazia aquilo mas quando ele via ela falando com uns caras ele não gostava, ele ficava super no "você não me ama" e tals, passado umas 1 ou 2 semanas, tudo "normal" tinha ido assistir TV com meus irmãos, até que vi que minha mãe pegou meu celular enquanto tava lá assistindo, ela viu meus desenhos no cell, os vídeos que eu estava vendo, minhas mídias, super de boa até que ela viu minhas conversas, ela ficou chocada especificamente com a conversa minha e do Carls, ela começou a me dá sermão de que esse cara tava dando em cima de mim, era um cara nojento, concordei com minha mãe, pensávamos do mesmo jeito em relação a ele, então ela falou pra eu bloquear ele, e como uma boa filha, obedeci, não sei se foi uma escolha correta, mas isso foi o suficiente pra ver que Carls era muito pior que um namorado que corna minha amiga. Alguns dias depois, vi que o Carls e a Rainara, tinham me bloqueado, o Carls eu já sabia o porquê, mas a Rainara não, fiquei desesperada, pois ela era muito legal e gostava de falar com ela, então é aí que surge mais 2 pessoas, meus dois melhores amigos, vou chama-los de Zarls e Karls, Zarls falou que era melhor deixar ela com o relacionamento dela com o moço, porque se ela fosse minha amiga de verdade ela não teria me bloqueado, mas falei que tentaria mais uma vez e foi o que eu fiz, infelizmente minha última carta foi voltar pro CarlsApp, até ali não tinha mais voltado pois estava sofrendo ataques de pessoas que nunca vi na minha vida (uns seguidores do Carls) e aquele lugar me trás lembranças ruins, mas voltei pra tentar falar com a Rainara, ela não me bloqueou lá e falei com ela e a mesma disse que o Carls tinha ameaçado ela dizendo que se ela não me bloqueasse, ele não iria mais falar com ela, porque se ela amasse ele ela faria isso e tal (ou seja, outra chantagem) então eu resolvi falar pra ela que isso que estava acontecendo não é normal, que isso estava ficando super ruim principalmente pro lado dela, depois lembrei de um fato que fazia com que isso ficasse pior ainda, ela tinha 14 enquanto ele tinha 18, tipo, ele era maior de idade e ela estava num meio desse tipo de relacionamento com 14 ( outro fato que acredito eu que seje a parte que mais me fez ficar longe dele, foi que ele disse uma frase que me faz querer apertar o pescoço da pessoa que fala isso: " idade é só um número", " cara, tô nem aí, meu primo tem 35 e namora uma menina de 13, de boa, idade não impede o amor") Tentei convence-la ao máximo mas ela disse que amava ele, ele a amava, "quem sabe que eles se encontrem, aí viram um casal de verdade" (sim, ela realmente disse isso) e um monte de coisas desse tipo, pedi ajuda pros meus 2 amigos, o Zarls falou mais uma vez pra deixar ela, que quando ela perceber ela vai ver que fui uma boa amiga e que eu tentei ajudar mas ela não quis ouvir, já Karls falou pra ela tomar no c* e que era pra ela ser mais feminista e menos burra (concordei demais com ele), ouvi o Zarls e não falei mais com ela, desde então não tenho mais notícias relacionadas a o casal, o Carls tentou falar comigo no app mas decidi que nunca mais entraria lá. Todo mundo que eu falo e participou da história está bem, o Zarls está feliz por ter me ouvido e meu deu todo o apoio pra me ajudar a superar essa história, Karls ficou triste por eu não ter mandado ela tomar no c*, mas ele foi um grande amigo como sempre e também me deu muito apoio, minha mãe está feliz por eu ter parado de falar com o casal, ela ainda faz o mesmo sermão e fala pra eu aprender com isso e pra mim ela foi uma mãe muito incrível como sempre, pois sem ela eu nunca teria visto o quão tóxico ele era e o quão falsa e burra era a Rainara, mas a história não acaba assim, se não, não teria colocado no,título " eu fui a babaca?" Enquanto eu assistia a turma-feira, vi que a Rainara me desbloqueou e está tentando voltar a falar comigo, sinto que não desejo falar com ela, pois depois disso tudo, tenho a mínima vontade de querervoltar a reviver a história, meus amigos já falam que é melhor não, que isso só vai piorar, mas sinto que ainda não fiz nada pra ajudar e que ela pode está precisando da minha ajuda, mas mesmo depois desse pensamento, bloqueei ela, pois não quero mais falar com ela, não quero mas voltar a falar com os dois, nunca mais quero ver esses dois, mas as vezes me pego pensando que isso tudo aconteceu por minha causa. Será que na verdade eu fui a babaca dessa história? Tudo isso aconteceu por causa de mim ou não? Gostaria muito que vocês me falassem, então foi isso minha gente, muito obrigada por ler.
Caso queira ler isso também: Sei que isso tem nada haver com o " eu fui o babaca?" Mas gostaria de dá uma moral, nunca namore virtualmente? Sempre conheça a pessoa antes de namorar essa? Cuidado com quem você fala? Obedeça seu pai e sua mãe? Não! Bem... Sim, mas essa não é a moral, a moral é: nunca entre nesses aplicativos de falar com pessoas virtualmente usando personagens como aquele, sempre dá errado, se você namorar alguém por lá, você está destinado a ser corno.
submitted by Yumi-Mochizuki to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.28 16:35 OmikePepino Como fui de um Nice guy para um cara realmente legal. Kkkkkk

(para auxiliar na voz, eu sou um homem baixo de 25 anos) kk Oi, Luva, Editouros, gostosos e gostosas que estão acompanhando. Eu gostaria de contar a história de como eu fui um nice guy do qual tenho vergonha e ter sido. A história é grande mas eu juro que o "final" É a melhor parte
Em meados de julho de 2017 eu fazia uso do app do foguinho vulgo "chindler". Fazendo uso do app, eu dei match com uma garota gostosa e burra do jeito que eu gosto (é meme kk) nós conversamos pelo Tiinder e mesmo antes de nos encontrarmos eu já tive meu momento draminha em um assunto meio delicado. Eu sou tatuador, mas na época era apenas um aprendiz sem tatuagens visíveis. Certo dia falei pra ela que tinha intenção de fazer tatuagem na mão por que achava bonito (hoje tenho). Ela disse "se você fizer acho que eu não teria coragem de ficar com você". Não compreendi a motivação dela de dizer isso e disparei "Não vai ser agora que vou me privar de algo que eu gosto. Fui criado por uma família religiosa e já fui privado de uma infância e também de uma juventude saudável, não será agora que eu ou arrumar mais correntes pra me brecarem". Sinto que exagerei nesse momento, ela disse que falei de forma rude, chorou e blablabla. Eu, inocente como até hoje sou, me senti extremamente mal por tê-la magoado. Então pedi desculpa nos resolvemos, então marcamos de nos encontrarmos (no mesmo dia em que entrei para um estúdio de tattoo como aprendiz [pior coisa que fiz] kkk). O estúdio sugava minha sanidade de um lado por me fazerem de escravo, e ela do outro por achar que eu era responsável pela felicidade dela. Eu não podia dar presentes pra ela mas ela queria lanche quase sempre mas eu não recebia pra trabalhar no estúdio. Era simpesmente trabalhar e observar pra aprender algo útil. Nesse vai e volta (dependendo da reação do publico a essa história conto o quão agonizante foi pra mim esse "vai e volta" <3), quando era novembro, aniversário dela, eu queria fazer uma surpresa pra ela, peguei um trocado emprestado com meu irmão (50R$) e comprei uma caixa de doces gourmet com minha amiga e dei de presente pra ela. Ela adorou mas nessa altura nosso relacionamento já estava muito desgastado. (Foi no dia do aniversário dela também quase a matei trocando os medicamentos dela acidentalmente mas não assumo toda a culpa por isso mas é história pra outro momento). No mesmo final de semana desse ocorrido, ela quis ir só Outback, e eu, como um cavalheiro que sou, me senti na obrigação de pagar para ela. Peguei 200 reais emprestado com meu pai e a levei (foi Rolê mais humilhante do meu ponto de vista). Foi eu ela e alguns amigos. Um dos amigos dela falou que se mudaria para Portugal e pra encurtar, ela usou isso de pretexto pra dar total atenção pra ele (ficava abraçada com ele na minha frente enquanto eu estava sozinho sem ter assunto com os amigos dela) e me ignorou totalmente. Me senti deslocado e humilhado. Mas assumo total responsabilidade por não ter aceitado antes que não havia mais um relacionamento. Quando íamos embora ela anunciou que iria pra casa de um amigo dela em Suzano (amigo gente boa. Não desconfio que tenha rolado nada entre elas mas na época eu era ciumento e não compreendia) mas foi nesse momento que me caiu a ficha. Eu desisti de tentar, fui seguir minha vida, sai do estúdio pois não tinha mais sanidade pra permanecer. Fui cuidar de mim e esperar a notícia do término. Então, durante uma festa de halloween, eu fui o maquiador da turma. Enquanto eu fazia uma maquiagem que seria a campeã da competição de fantasia, veio a mensagem: "Michael. Quero terminar" Apesar de já saber disso eu fiquei quebrado, não consegui dizer nada além de "a gente pode ao menos conversar pessoalmente?" Ela disse que não queria me ver ainda. Pra eu esperar uma semana que ela viria até mim ou eu iria até lá. Eu estava muito depressivo e tenho anemia crônica. Meu peso normal é 65kg por que sou baixo. Eu estava com 53kg. Mas eu melhorei, voltei a me alimentar, treinar, fiquei saudável, até que no Réveillon eu me autosabotei da pior forma possível. Eu mandei mensagem desejando feliz ano novo pra ela (eu estava sob efeito de droga). Ela foi super gentil, me desejou de volta. Poderia nascer uma linda amizade nesse momento, mas não. Eu pedi pra voltar. Foi o último não que eu recebi antes do pior momento da minha vida. O ano de 2018 começou intenso. Me envolvi com drogas cada vez mais pesadas, cheguei até mesmo a vender. Só assim pra fingir que ela não existia. Porém, em março eu tomei um baque que foi a notícia que ela estava namorando novamente (direito total dela). Eu decidi que iria voltar a ser um bom filho/ irmão. Pagar tudo que peguei emprestado pra tentar fazer ela feliz (Nice guy falando). Arrumei um emprego, voltei pra academia, ia competir em um campeonato de fisiculturismo quando conheci a minha atual namorada. essa minha atual namorada, é a garota mais inteligente que conheço. Ela me dá orgulho por ser quem é. Minha sogra é um anjo na minha vida. Mas em dezembro de 2018 ela teve uma briga com o padrasto dela e veio morar comigo na casa da minha mãe. Ela prometeu que em janeiro ela já estaria procurando por outra casa e foi exatamente o que ela fez. Em fevereiro ela já estava se mudando para própria casa e disse pra mim: "Se você quiser continuar com sua mãe eu vou entender, mas adoraria que viesse comigo". Nesse momento eu estava desempregado pois estava novamente foco total na minha carreira de tatuagem. Por ela me dar total apoio eu aceitei ir morar com ela até por que minha mãe fazia um esforço imensurável para que eu desistisse de ser tatuador. Focado na vida de casado agora também, eu tive problemas. Não conseguia fazer tatuagens por que a senhoria da casa onde eu morava ficava plotando quem eu levava para lá. Um inferno. As coisas começaram dar errado na minha vida novamente (eu sou um cara azarado mesmo, Lubinha). No mês de maio eu perdi totalmente o tesão na vida. Pensava em suicídio e os caraio por que minha vida passou a desandar. Nem mesmo o amor incondicional que minha namorada me oferecia me confortava. Eu já tinha desistido. Meus amigos me chamavam no portão e eu ignorava. Ficava deitado fingindo que não escutava. Minha namorada comprou ingressos para uma convenção de tattoo para me animar. Funcionou muito bem. Eu voltei a desenhar, entrei numa maré de empolgação que não duraria muito. Eu tomaria outro golpe da vida. Minha máquina de tattoo queimou. Eu estava cheio de esperança no marketing digital mas nem isso deu certo pra mim. Minha namorada vinha me dizendo que estava pesado pra ela cuidar das contas sozinha mas eu não consegui fazer nada. Comecei a procurar emprego e adiar novamente meu sonho por um bom motivo. Mas foram 5 meses sem resultados. No mês de novembro nós mudamos para uma casa maior um pouco mais cara mas onde eu poderia ter a liberdade de vender minha arte. Nessa casa eu consegui trabalhar, fiz bastante trabalhos mas ainda assim tudo voltou a dar errado quando o bico que eu fazia no autódromo parou de acontecer por que estávamos em época de chuva. Eu ganhava menos com tattoo no início da carreira do que como controlador de acesso nesse bico. Eu só me fodo. Kkkkk Minha atual disse que queria um tempo pra ela poder organizar a vida dela. Ela basicamente havia desistido de mim, mas também, quem confiaria em mim se nem eu mesmo acreditava mais??? Se eu não arrumasse um emprego não daria mais. Veja bem como a vida é justa. Nesse momento eu arrumei 2 empregos e o dono do estúdio que eu contatei na convenção me chamou para trabalhar com ele. Kkk vida injusta. Eu estava numa sinuca. Meu sonho e meu amor estavam na mesma mesa cada um rolando pra um lado e eu teria que escolher qual eu salvaria de cair. Depois de muito pesar eu decidi seguir meu sonho. Julguem-me. Minha namorada falava palavras duras pra mim, dizendo que estava exausta, que não daria mais. Chegou a dizer que não me amava mais. Eu insisti por 2 semanas mas decidi dar total liberdade pra ela escolher o que queria: "Você escolhe se quer ficar ou se quer ir. Saiba que eu te amo e vou adorar se ficar, mas se for eu vou ficar bem. Não se preocupe" Ela decidiu ficar. Tudo começou dar certo. Era fevereiro e eu pagava o aluguel e sobrava um bom dinheiro pra gente sair final de semana. Aí um chinês resolveu comer um morcego e todos os estúdios/comércios tiveram que fechar. Desandando novamente. Hoje estou tentando retomar minha clientela que se dissipou demais nesse momento, mas ainda não tenho conseguido produzir nem ao menos o necessário para pagar meu aluguel...
A vida vai continuar me dando essas rasteiras. Mas eu vou levantar sempre, de novo e de novo. Se não tá bom eu vou fazer ficar. Agora eu estou total focado em ficar cada vez melhor no meu trampo pra poder ganhar uns troféus e pra dar a vida que essa minha atual merece. Não sei se falei. Minha atual e minha ex se tornaram muito amigas. Somos isentos de ciúme (acho que é o mínimo necessário pra namorar um tatuador) kkkkk
Desculpa pelo histórião Luvinha. Mas eu tenho uma história dessa tanto pros relacionamentos quanto pra vida profissional quanto pra familiar. Kkkkk
Luba. Caso leia. Sugira pro YouTube colocar um botão pra curtir quando em tela cheia. É muito chato ter que minimizar o vídeo pra dar like. Kk
Plot twist. Acabei de terminar com a minha atual ex.
Amo vocês galera. Agora é eu por mim <3
submitted by OmikePepino to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.18 08:30 rafaspbarbie A AMANTE.

Oi genty, povo tudo vocês, Lubisco, gatitas, editores, turma, galero, convidado não por que né QUARENTENA, mds to nervouser. Essa história é a história de como eu virei a amante de um cara. Como é uma história anônima, vou mudar os nomes tudo. Se preparem pois ela é looooonga
Bom, em meados de 2016, tinha voltado a estudar na Tijolinhos (nome fictício de uma escola particular em Brotas-SP) depois de repetir de ano e tal. Lá conheci a Joséfa, que virou minha melhor amiga pra vida (ou não, né?), e desse rolê todo boa parte foi culpa dela (TÔ DE OLHO JOSÉFA). Um lindo dia na escola, tava eu lá, com vontade de fazer pipi, ou só me olhar no espelho pra ver o quão bonitona eu tava, e quando tava descendo eu vi ELE, Pablo, na sua escadinha de técnico de Wi-Fi, skksksksksks ele era lindimais (bom, eu achava né) e daí eu passei por ele, trocamos olhares bem calientes, mas ficou por isso.
Logo de noite ele me adicionou no SNAP, sim, snapchat. E trocamos muita ideia, ele era muito inteligente e a gente combinava em muitos aspectos, tava xonadinha. Depois de uns dias conversando com ele, o mesmo apareceu na escola de novo, E DAÍ QUE COMEÇA A MERDA. Estava sentada com Joséfa e comentei:
Na hora eu mandei mensagem pra ele falando um monte de coisa, que era um absurdo ele namorar e falar comigo daquela forma, insinuando coisas, falando pra gente ficar e tal e que eu seria só amiga dele a partir daquilo, AHAM.
Daí entra a parte importante da Joséfa na história. A doida nada mais nada menos me chamou pra fazer vôlei com ela, e eu fui, tinha dois horários, o das kids e dos adultos, íamos nos dois. Fomos no primeiro horário, e partimos pro segundo logo em seguida. Então tava eu lá, linda e plena mexendo no celular e daí a anta da Joséfa começa a dar risada olhando pra longe, eis que me vem à imagem de quem? PABLO. Ela já sabia que ele fazia vôlei, acho que ela queria ver o circo pegar fogo, MESMO. Ele me cumprimentou todo sem graça, mas sempre trocando olhares comigo do tipo "te quero" e eu me segurando pra não pular nele ali mesmo. A gente continuou conversando normalmente, mas havia um flerte sim, mesmo que muito inocente.
Mais pra frente, decidi chamar ele pra conversar, falar pra ele que eu estava gostando dele de verdade, combinamos de conversar depois do vôlei e ele me daria uma carona até a casa dele. A conversa foi basicamente os dois se olhando na maior vontade, eu falando que gosto dele, ele retribuindo, mas também falei que não faria nada em respeito a namorada, AHAM². Durante a conversa teve troca de carícias, muitos abraços, carinhos e olhos nos olhos. Quando íamos pro estacionamento pegar a moto dele, ele me levou para um canto escuro e tentou me beijar, mas dei um abraço porquê não tava me dando por vencida. Quando subimos na moto, ele me disse que ia passar na casa dele pra pegar o carro pois seria mais confortável pros dois (o que ia ser mais confortável hein, Sr. Pablo?!), mas que não era pra me preocupar pois não teria ninguém em casa... MAS TINHA! A família toda dele tava lá, mãe, padrasto, irmãos.. entrei lá com a maior vergonha, ainda tive que ouvir do irmão "quem é essa menina estranha?" Fui pro QUARTO dele, sentei lá na cama e fiquei um tempo ali absorvendo tudo, enquanto ouvia ele falando com a mãe sobre mim, "apenas uma amiga"... sei (foi exatamente o que a mãe dele disse, não tínhamos muita credibilidade). Fomos pra minha casa e ele tentou me beijar de novo, mas não rolou, ainda achava que não daria o gostinho pra ele.
Continuamos conversando e tendo uma relação bem inocente, e era muito bom, confesso. A gente ainda ia no vôlei, ele me dava caronas, era bem discreto e bom, como aqueles romances dos anos 50 que não havia nem beijo, o sentimento se mostrava em outras demonstrações, no carinho, no toque, nas conversas, nos olhares e era bem assim, me vendo por fora da cena, veria uma garota com cabelos aos ventos sorrindo na garupa de uma moto abraçada em um cara que a fizesse sentir o amor, o vento, borboletas no estômago uma primeira vez.
Eu, Joséfa e Pablo descobrimos que teria uma chuva de meteoros na madrugada de quarta pra quinta, nos animamos muito pra ir, mas no fim iria só eu e ele... era o que eu achava, né? (Só pra constar, não havíamos beijado ainda.) Bom, ele me buscou em casa, fomos pra casa dele buscar cobertores e nisso ele me deu uma camiseta (que eu tenho ate hoje) de unicórnio. Com isso ele me disse que umas pessoas iam junto, fiquei meio assim, mas se não tinha problema pra ele, por que teria pra mim? Só que essas pessoas eram o que? A FAMÍLIA DELE. Primos, tios, tia avó (que aliás, gostou muito de mim) muitos deles achavam que eu era a namorada dele mesmo, pois estávamos muito próximos já. Durante a chuva eu só conseguia olhar pra ele, muitas das vezes ele me fazia olhar pras estrelas (não é atoa que eu o chamo de "Sr. das estrelas"), esperando algum meteoro cair, mas eu não vi nenhum. Enquanto estávamos lá, com a família dele, a gente se acariciava, ele me dava selinhos e eu juro que podia ser só isso pro resto dos meus dias com ele, pra mim estava perfeito. Fomos embora, levamos um dos tios dele pra casa, nisso ele me pergunta se eu queria ir embora já, obviamente disse que não.
Fomos para uma parte onde dava pra olhar bem as estrelas, mas naquele dia eu tava cansada de olhar pra elas. Nós paramos o carro e, naquele momento tudo parecia em câmera lenta, de olhar um para o outro, como tirar o cinto e até na hora do (finalmente) beijo. Sim, naquele momento eu virei A Amante. O beijo foi incrível, tudo se encaixou, foi o melhor beijo da minha vida até hoje, tínhamos química, minha pele se arrepiava só dele me tocar, era tudo como um conto de fadas, só que sem a parte do príncipe encantado.
Eu vivia com ele, vivia na casa dele, assistimos vários filmes, passamos por lugares incríveis, daqueles que faziam a gente suspirar e não querer parar de olhar. Cada vez mais eu me apaixonava, ele me fez sentir coisas que eu nunca senti, me fez ver coisas que eu nunca vi, me fez me maravilhar com as coisas simples, como estrelas. Mas eu sempre ouvia dele que ele sempre era o coitado, de como a Jurema (a tal da namorada) era ruim com ele, das vezes que ela traiu ele, das vezes que ela o tratou mal, mas mal sabia Jurema o que ele fazia também, mal sabia ela o quanto eu me sentia mal por isso. Sempre coloquei na minha cabeça que não tinha motivos para trair, mas que eu me conformei com a situação, achei que, dessa vez, tava tudo bem, até porquê eu tinha ele, né?
Como o tempo, tudo se passava, ele me fazia promessas, me prometia terminar com Jurema, que seríamos felizes, ja estava enjoada de ser rotulada como A Amante, não só por mim, mas por ele, por Joséfa também (que passou vários momentos de vela entre eu e Pablo). Numa dessas fui até na casa da avó dele, joguei truco com sua família, beijei ele na frente deles, (um deles lembra de mim até hoje, fala comigo como se eu fosse a ex oficial dele kkkk). Numa outra saímos com um dos seus amigos, nesse dia descobri que a nossa música era aquela lá, a tal da Cataflor do Tiago Iorc, aquela que toda vez que ouço lembro do dia em que eu ouvi pela primeira vez. Esse tal dia estávamos eu e Pablo em sua casa quando ele recebe uma ligação do seu amigo falando que ele queria vê-lo, Pablo falou que estava com uma "amiga" e esse amigo, o Gerson, disse que tudo bem eu ir junto. Entramos no carro, cumprimentei ele, e logo ligamos o som do carro ouvindo Tiago Iorc num tom bem doce, todos cantando e, no momento que esta começou a tocar, ele segurou a minha mão e disse:
-Ok.
Nisso começa a letra, não era atoa que eu me apaixonei, um cara que disse que me daria todas as flores no mundo mas que nenhuma delas chegava a ter a beleza que eu tinha, que a natureza tentou imitar 'tamanha' beleza mas que falhou, pois não tinha como ter algo tão bonito quanto. Como eu não me apaixonaria? Eu também não sei responder essa.
Logo após um tempo, comecei a cobrar o término dele e ele sempre me dizia que era muito difícil, pois era um relacionamento muito longo (3 anos). Pois bem, um mês depois disso ele terminou, viajou pra cidade dos primos dele, foi em várias festas, beijou várias meninas e depois que voltou, me buscou em casa, fomos pra um dos "nossos" lugares, ele sentou comigo e me contou tudo, das meninas, de quem ele teria ficado, como que ele estava amando ser solteiro e tudo mais. A ficha não tinha caído, ele realmente estava solteiro, não devia mais nada à ex, mas ao mesmo tempo parecia que ele não devia nada à mim também, que o cara que falava aquelas coisas, me fazia sentir aquelas coisas e falava que era apaixonado por mim havia sumido junto com o término dele. E. ISSO. DOEU. MUITO. Ficamos naquele dia, mas eu fiquei extremamente desconfortável, cheguei em casa e chorei por horas, do tipo "será que aquele cara nunca existiu?". Nos afastamos cada vez mais, e cada dia que passava a única oportunidade de ver ele, eu não via.
Teve uma festa, a Semáforo, foram todos meus amigos, me diverti pra caralho, dancei por bosta e por fim, ele estava lá, fiquei com ele várias vezes, fiquei com a Joséfa também (pela primeira vez), demos um beijo triplo, ficamos por maior tempão juntos, até subi no colo dele quando ele tava deitado no sofá kkkk, hoje em dia isso é de boas, mas na época muita gente me julgou. Depois disso nos afastamos de vez.
Umas semanas depois, estava na aula de artes, (na qual a professora era madrasta do Pablo) quando a professora diz:
Olhei pra Joséfa na hora e fiquei muda, aquilo partiu mais ainda meu coraçãozinho. Mas o que não era pra ser, não ia ser, não é?
Bom, gente, essa foi a minha história. O Pablo continua com a Múmia, mas não adianta ter uma aliança no dedo DE NOVO, e ainda olhar pra mim com a mesma cara de apaixonado de antes, vir me seguir nas redes e ainda dar em cima de mim, TÁ PABLO??? VÊ SE APRENDE A RESPEITAR A SUA MULHER, BEIJOS.
Um beijo no core de vocês, espero que tenham gostado, xau.
submitted by rafaspbarbie to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.10 16:25 Fllopsy Eu não tenho amigos, eu não tenho ninguém.

Com exceção dos meus pais, que me amam muito, é claro. Esse é mais que um desabafo, é um pedido de ajuda. Mas eu explico:
PARTE1 Sou um adulto (26H) que cresceu com TDAH sem saber (recebi diagnóstico apenas ano passado. Estou em tratamento). Como tal eu era uma criança super animada, o verdadeiro líder das brincadeiras. Mas com o passar dos anos eu comecei a me tornar "a criança diferente". A partir da quinta série (atual sexto ano) a coisa desandou, a ponto de, na saída do colégio, todas as turmas fazerem um corredor polonês pelo caminho que eu passava para me xingar (palavras como lesado, retardado e doente mental me dão um frio na espinha até hoje por conta desse dia).
PARTE 2 Meu mecanismo de defesa inconsciente diante dessas situações foi desenvolver uma necessidade constante de aprovação (a final, quem lá sabia o que era TDAH nessa época? Depressão nem era "cool ate então), eu precisava mostrar pra todos que eu era legal, que eu era descolado, que eu era "normal". Vocês conhecem o Boça do Hermes e Renato? Pois então, eu era o boça, e isso não é força de expressão nem linguagem figurativa, só faltava mesmo nariz e o sotaque "mooquense" (se não conhece o boça, pesquisa no YouTube. São episódios bem engraçados). Eu certa vez adicionei o número dos bombeiros, polícia, SAMU e até da defesa civil (!) na agenda do meu celular, só para ficar com incríveis 12 contatos e as pessoas não me acharem tão fracassado (o resto dos números eram da familia. Por "sorte" meu pai tinha 3 números). Resultado? Eu esqueci quem sou, vivi com máscaras para ser aceito. Deu certo? Claro que não. Eu era/sou forçado, incoveniente, "lesadão".
PARTE 3 Essa época era por volta dos 15 anos, ia pra igreja apenas para conversar com uma menina (que, advinhem, se tornou o amor da minha vida na época). A L (vamos chama-la assim) me acolhia bem, era minha melhor amiga, a ponto de chamar minha mãe de mãe (mas eu não era o irmão hahaha). Por ela e sua irmã estudarem no colegio mais descolado da cidade, acabei conhecendo várias pessoas que eram seus amigos. O que um rapaz de 15 anos, com hormônios a flor da pele e que não tinha amigos faria num ambiente com tantas meninas bonitas e populares? Exatamente... Em uma festa de 15 anos de uma dessas meninas (uma das duas únicas festas de debutantes que fui na época, em que a outra festa nem convidado fui) fui ridicularizado no meio do salão, pelo microfone ainda mais, quando a aniversariante, ao agradecer a todos, soltou "obrigado a todos que vieram, menos ao (eu) porque ele é chato" (todos riram. Não risada a toa, mas risada de concordância). Aliás, L se casou recentemente, mãe de duas filhas (lindas) fui convidado. Reencontrei a todos e, como estao maduros, fui relativamente bem recebido. Como não tenho tato social, porém, não saiu disso
PARTE 4 (final) Desde pequeno sempre tive uma inteligência acima da média (modéstia parte). Não no sentido de saber tudo, mas no sentido de aprender com extrema facilidade. Como a depressão virou distimia (um tipo severo de depressão que não ocorre em ciclos, mas sim de forma constante, 24h por dia, todos os dias), como efeito colateral do TDAH não tratado e do complexo de inferioridade causado pela adolescência, perdi todo o ânimo para estudar. Meu sonho sempre foi fazer engenharia civil (e só posso fazer em federal, dado a falta de recursos) demorei bastante pra passar (na época era o terceiro curso mais concorrido aqui da federal). Fiz amigos? Não. Eu já estava tão machucado socialmente que eu me isolei. Eu me isolei de tudo e foi aí que perdi de vez o tato social (eu era aquele carinha que sentava na última cadeira, distante 5 cadeiras da pessoa mais próxima, já que a sala é grande). Por sorte, consegui uma bolsa de intercambio, o melhor momento da minha vida. Fiz amigos? Também não. Chegamos a hoje. Sem motivação para ir para a faculdade, já que não tenho com quem compartilhar as novidades (que nem tenho na real) e ouvi as histórias dos amigos. No desespero aprendi algumas técnicas de persuasão, eu realmente fiquei bom nisso (dai que consegui o intercâmbio), a ponto de fazer as pessoas me admirarem mas o "logo após", eu não sei fazer. Não sei criar laços. Já comecei a namorar, mas sempre terminava 2 meses depois. Conheci uma menina na quarentena, ela parecia apaixonadinha. Mas sumiu, me bloqueou, alegou "eu não quero mais nada com você. Você está sendo chato". Até converso hoje em dia com algumas pessoas da faculdade e sinto um interesse genuíno deles em desenvolver amizade comigo. Mas não consigo, não que eu sinta medo ou não queira, mas eu simplesmente não sei fazer. O "deixa rolar" não funciona porque eu simplesmente não tenho instinto algum de amizade. Enfim. Com o tratamento a depressão melhorou, o ânimo aumentou (muito), consigo me dedicar ao que me dá prazer, construí um curriculum invejável graças a tudo isso mas a parte social? Ah... Isso eu nunca aprendi. Sigo sozinho e, apesar de sonhar muito com uma família linda, com filhos e um cachorro, eu estou começando a abandonar esse sonho e acreditar que, de fato, nunca vou aprender a ser um ser social. As forças para enfrentar esse mundo acabaram (mundo no sentido de "socialização").
Se voce leu até aqui, meu muito obrigado. Estava entalado (não. Ninguém sabe que dentro de mim se passa essa tempestade. Nem meus pais). Puta mundo injusto, meoooo
submitted by Fllopsy to desabafos [link] [comments]


2020.07.01 23:56 girassol_12 eu sou babaca por querer acabar com um relacionamento?

olá luba, gatas, turma e editores! tudo bem? bom, ano passado eu conheci um menino, ele é 2 anos mais velho que eu e eu achava ele super lindo e quis fazer amizade. (ele tinha alguns problemas de família e eu queria muito ser uma “amiga” na qual ele pudesse contar pra literalmente tudo). eu puxei assunto primeiro e eu comecei a gostar dele, só que só contei pra ele um mês depois e ele disse que era recíproco pepepe papapa. aí a gente ficou “junto” por mais ou menos um mês e meio, só que enquanto isso, ele me tratava de um jeito hiper tóxico, mas eu era a besta apaixonada da história ent eu nem percebia. (no início ele era bem carinhoso mas depois começou a ser tóxico) enfim, eu chorava quase todo dia e deixava de aprender as matérias das minhas provas pra aprender as matérias dele pra ensinar pra ele (e ele era 2 anos mais velho!!!) até que isso teve um fim (amém) ele queria apenas me beijar, só que eu sou muito nova e nem maturidade eu tinha pra isso ano passado. eu continuei gostando dele, mesmo ele me desprezando pra caramba. aí, no final do ano passado, ele veio de conversinha falando que eu tava linda e etc e que a gente deveria ficar (oq eu claramente n queria) só q como eu tava sozinha na vida, a gente flertou pela diversão mesmo (quem nunca kkk) aí foi temporário e tals. passou muito tempo e atualmente nessa quarentena ele começou a puxar assunto mais uma vez e flertando por brincadeira, falando que eu tava gostosa (????), que eu tava linda, e que queria ficar comigo. eu claramente recusei pq estou afim de outro menino. literalmente um mês depois ele me aparece NAMORANDO, e postou um story com a namorada dele chamando ela do nome que ele me chamava apenas pra me provocar. eu nem sei quem é ela, mas acho um mês pouquíssimo tempo pra namorar com alguém sendo q vc tava afim de outra pessoa. todo mundo fala pra eu conversar com ela, pq ela pode ser corna. eu seria a babaca por fazer isso?
submitted by girassol_12 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.29 19:29 Lynne_da_C2 A CARENTE DO INSTAGRAM

Olá Luba, editores, gatas, microfone, fantasmas atrás do Luba, FBI, possível convidado, a propósito traga mais o Jean aqui, e todos que estão a ver.
(Sou nordestina quero sotaque aqui na minha mesa viu tia Carminha.)
Bem minha história começa naquela linda plataforma chamada Instagram. Uma guria me mandou mensagem aí eu pensei: "Gata vou conversar, trocar ideia né". Mas como a boa Peixinha que sou esqueci de mandar mensagem, e ela me mandou, okay passou-se uns dias até que eu me lembrei de responder. continuando a guria já começou me chamando de amor, neném, Bb, mô entre outros e eu ignorando e tals. (Ela é de outro estado okay?) Beleza continuando ela pediu meu Whats a gente conversou, consolei ela pq ela tava triste e tals. Depois a fdp veio falando que me amava e etc. (Muita carência pra uma pessoa só, credo) logo pensei: "oshi essa daí é doida nem me conhece, tá de onda com minha cara, uma febi tife dessa, sabe nem meu nome direito. Oushi". Aí mandei real pra ela, disse que não sou de namorar, que não sentia nada por ela, ainda, até pq não a conhecia o suficiente pra dizer que a amo, aí ela começou com os paranauê dela, e a proposito antes de tudo eu tentei ter uma conversa razoavelmente normal com a guria, e ela sempre me cortava, não disse a idade, não disse do que gostava não disse porra nenhuma pra mim, então né. Ela disse que ia tomar remédios e se embebedar, pq tinha sido iludida mais uma vez. (A gota serena se iludiu sozinha né? Pq eu tava ali pra ser uma amiga/ ficante. Não o amor da vida dela, credo.) Eu mandei ela não inventar moda pq querer se matar por alguém que vc acabou de conhecer é muito fogo no cu mesmo. Eu já com o cu na mão de raiva disse tchau, que ela arrumasse um psicólogo que ela tava precisando, e que ficasse bem. 2 horas depois a guria volta dizendo: "bora tentar dnv, vc vai se apaixonar por mim do mesmo jeito que eu tô apaixonada por vc". Pensei: "vai te lasca febi tife" porém como a boa menina educada que sou respondi: "A nega acabou o clima sabe, bora ser colegas tá tudo tranquilo, fica bem aí, tchau". A gota serena só sossegou o priquito quando eu disse: o porra eu não te quero, vc é muito carente e eu não quero namorar eu não quero você e não quero ninguém compreenda a situação. (Talvez tenha sido um pouco grossa, mas deixei claro isso no Instagram, E aqui tbm então né) (Esqueci de mencionar ela queria que eu fugisse de casa pra ir pra cidade dela morar com ela.) Enfim doida né? Então fui babaca por não ter "tentado conversar com ela" e por ter sido grossa? (Nesse caso "conversar" é tipo ficar de papo até que um dia, talvez, eu chegasse a gostar dela.)
My opinião: Nn acho, ela que é muito carente. Or.
Enfim, eu colocaria os prints porém não sei mexer aqui ainda gente, então se eu aprender eu posto aqui pra vcs.
submitted by Lynne_da_C2 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.26 16:11 miicmic “Como destruí e fui destruída pelo grupinho do whatsapp”

Olá Luva, gatas, Fodrigo Raro, editores, possível convidado (Que seja o Jean, ps.: nunca te pedi nada...) e claro, olá Turuma!
Essa história contêm Vish kk, nice guy, nice girl (eu provavelmente), e TROUXA. Quero que julgue WHO IS THE ASSHOLE... <3 (provável que eu seja a babaca em muitos pontos aqui vish kk)
Os.: Essa história ainda mexe um pouco comigo e deixá-la mal resolvida provavelmente foi um erro de minha parte, mas não sinto que posso fazer mais nada agora, então pq não me EXPOR na infernet, não é meixmo???!
Caso seja de sua vontade, meu sotaque é do sul da Bahia (apesar de morar em SP há anos), uma mistura real de Minas Gerais com “oi tia caRminha”.
“Como destruí e fui destruída pelo grupinho do whatsapp”
Tudo começou em 2016 quando mudei de emprego. Comecei a trabalhar numa empresa menor, na época eu com meus recém completados 20 anos. Na empresa nova conheci uma galerinha legal, que faziam viagens juntos, bebiam pra caralho (até então eu não bebia), festinhas, bares, etc.
Eles tinham um grupinho, vou chamar o grupo de “Capirotos” e era composto pela Larls (mulher, 25), pelo Jarls (homem, 27), o Vlars (homem, 30 ) e o Garls (homem, 29), Carls (homem, 32), Sarls (mulher, 29) eu (mulher 23),.
Com o tempo entrei pro grupinho de capirotos, e comecei a frequentar as viagens com eles. Tudo muito que bom, tudo muito que bem, comecei a sacar os envolvimentos “amorosos” grupinho. Aparentemente a Larls que era uma moça um tanto “aberta” já havia pegado 2/3 deles. Mas até aí de boas, no judgements, afinal cada um faz o que quer da sua vida, não é meixmo? Mas é aonde a coisa fica esquisita, pq começo a sacar que tinha muito muuuuuuuuuuuuito mais por trás daquele grupinho do que amizade e pior, começo a me enrolar com os rolos deles...
Me tornei muito muito amiga da Larls.
Antes de entrar pro grupinho eu já tinha um interesse meio “secreto” pelo Garls. E eu sabia que era correspondida. Porém... Vlars foi mais rápido, ao se mostrar interessado e comecei a ter um “relacionamento” com ele...
Vlars começou seu jogo de interesse, se mostrou um cara diferente de todos os outros que eu havia conhecido, (leia-se começou a me iludir), me buscava todos os dias na faculdade, se mostrava preocupado... nos dávamos muito bem no fucfuc inclusive (apesar de que isso nunca foi o item de maior peso pra mim kkkk). Quando eu falava sobre esse meu pensamento, ele dizia que eu merecia alguém que me tratasse como rainha e inclusive me fizesse feliz no fucfuc. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Vlars me ensinou a tango... me ensinou a gostar de vinhos e queijos... conversávamos sobre tudo... Ensinei ele a cuidar melhor do dinheiro, afinal ele já tinha 30 e poucos anos... e eu no auge dos meus 20 e poucos estava aprendendo sobre finanças pessoais e passando para ele algumas dicas.
Os anos passaram, Vlars nunca me assumiu oficialmente, mesmo eu tendo deixado MUITO claro o quanto isso me magoava profundamente, em especial por conta da minha família. Vlars começou a estudar finanças além das dicas que eu havia dado, e passou a ser investidor de renda variável, e eu segui meus planos na renda fixa.
O fato de Vlars nunca me assumir, me fazia sempre ficar com um pezinho atrás naquela "relação", eu não conseguia evoluir, fazer planos pro futuro com ele, durante aqueles árduos 3 anos, eu sempre planejava as coisas de modo a incluí-lo ou não... o que me dava nos nervos e dava um puta trabalho do caramba.
Em meio a essa relação que eu não sabia bem o que era, vez por outra eu dava umas escapadas de Vlars, em geral, escapadas sigilosas com Garls. Talvez aqui eu era a babaca da história, pq além de, de certa forma iludir o Garls, eu poderia ter colocado alguns belos pares de chifres em Vlars. Mas não me sentia errada, uma vez que eu “não tinha” um relacionamento com Vlars. Além disso Garls era ciente da minha “história” com Vlars, nunca menti pra Garls sobre. Ps.: Me julguem. Eu sou a babaca da história?
O tempo passa e Vlars começa a ficar mais e mais estranho, nosso fucfuc top já nem rolava mais. Ele me cobrava coisas financeiras das quais eu não via sentido, já que não conseguia entender se ele queria ou não um relacionamento comigo. Nesse meio tempo, tbm tive alguns problemas de ordem financeira, devido a alguns imprevistos. Algumas vezes Vlars chegou a me emprestar dinheiros, mas sempre paguei tudo conforme o prometido, nunca fiquei com a dívida além do tempo que eu disse que precisava pra pagar.
Vlars passou a ganhar dinheiro com os investimentos, e começou a menosprezar os meus feitos financeiros. Ps.: eu era uma garota de 20 anos que tinha o mesmo salário que ele aos 30 ainda que ele fosse engenheiro e eu nem formada era.
As tretas de ordem financeira sempre foram sutis, mas elas existiam, e me machucaram muito... o fato de ele não me assumir, piorava muito a situação.
Sofri um pequeno acidente que me fez fazer fisioterapia pro tornozelo, e posteriormente me levou a uma cirurgia. Quando iniciei a fisio, Vlars começou a fazer aulas de muay thai (perto da minha casa, em cima da livraria da minha familia), e ele sabia que eu queria fazer tbm, mas na época meu problema do tornozelo não permitia. Quando eu conversava com ele sobre o Muay Thai ele meio que desconversava...
Vlars foi ficando mais e mais esquisito comigo, eu era muito apaixonada e não via o que estava rolando, eu só queria “salvar” aquele “não relacionamento” de qualquer maneira.
Minha última tentativa com Vlars foi bastante incisiva, e eu sabia que se aquilo não desse certo, seria o fim total. Aceitei que isso poderia acontecer. Conversei com meus pais, e trouxe Vlars em casa. Tentei meio que no fórceps fazer ele assumir ali um relacionamento comigo. Vlars ficou desconfortável com a situação, bem obvio eu diria, já que aqui eu sabia que estava sendo babaca elevado a 10ª potencia.
Porém aquilo fez sentido na minha cabeça, pois ele sabia o quanto a falta daquilo me magoava profundamente. Ele tbm sabia que a nossa relação ia de mal a pior, e no meu entender, depois de tudo que passei por ele, aquilo era o mínimo que ele podia fazer por mim, e se não fizesse, eu entenderia que era porque de fato ele nunca quis me assumir realmente.
Ele não fez. Ficamos mais duas semanas juntos. Posteriormente ele assumiu que só se manteve comigo meio que por pena, já que eu tava passando por momentos tensos na minha família (familiar próximo estava sob suspeita de câncer). Obs.: eu estive o tempo todo ajudando e apoiando ele, quando ele passou pelo mesmo.
Ele terminou comigo usando as desculpas mais esfarrapadas que já ouvi. Sofri muito. Chorei por dois dias. Tentei conversar com ele de novo. Deixei claro que aquela era a última tentativa que eu faria. Afinal eu não faço o tipo ex que fica ligando, mantendo contato e etc.
Larls tentou me alertar algumas vezes que Vlars não queria nada comigo, pq na verdade ele gostava dela. Além disso, Larls me contou várias mentiras que Vlars me contou, para tentar coisas com Larls quando eu não estava pertoe em certas ocasiões me manter longe. Muitas vezes confrontei Vlars dessas informações (claro que com todo o consentimento de Larls – sim eu confiava mais nela do que nele).
Entendi depois que rolava um certo ressentimento de Vlars, porque dos 4, Larls não pegou apenas ele. E isso, fez o trouxa ficar de 4 por ela. E maior ainda, Vlars tentou me usar (durante fucking 3 anos) pra fazer ciúmes em Larls. Mas tudo que ele conseguia era o contrário. Porém, aqui esta a prova que união feminina funciona... eu jamais tive raiva de Larls, ou desconfiei dela... eu na real fiquei muito magoada por ele ter me enrolado tanto, por tanto tempo.
Além disso tudo, por acreditar que Vlars era apenas um “excêntrico” acabei colocando Galrs nessa bagunça. Sempre gostei muito de Galrs, como amigo mesmo. Ainda que eventualmente fosse uma amizade colorida... Galrs alimentou sentimentos por mim, e fiz ele sofrer bastante nesse período. Eu tbm sofria, pq tive que deixar de trocar ideia com Galrs várias vezes, e eu amava muito a nossa amizade.
Galrs e Vlars não se davam muito bem em algumas questões, ainda que fizessem parte do mesmo grupinho. O fim oficial da amizade foi decretado.
O fim real da história:
Galrs e eu começamos a nos encontrar sem cerimonia depois que Vlars me deixou mal por duas semanas inteiras. Galrs fez tudo por mim, me apresentou aos seus familiares e amigos, veio conversar com meus pais, me ajudou com a fisioterapia (que ainda faço), me acompanhou na cirurgia e deu a maior força pra minha mãe, me deu uma aliança, posta fotos comigo e grita aos 4 ventos o quanto me ama... foi meu alicerce quando perdi minha sobrinha, e ficou o tempo todo do meu lado, além de ter dado o maior apoio pra minha irmã.
Confesso que tive que “aprender” a ver Galrs dessa maneira, mas quando finalmente vi, amei cada segundo. Estamos juntos a 8 meses. Fazemos planos de viajar e morar juntos. Galrs é um cara incrível, e posso agora dizer que o amo muito.
Descobri que Vlars começou a namorar uma garota que fazia aula de muay thai com ele. Ainda sigo na dúvida se fui corneada ou não. Pois na época da aula de muay thai foi já o fim da história, e ele já havia conhecido meus pais, o que teoricamente nos colocou em um relacionamento sério... enfim...
Grupinho se diluiu por conta do romance que envolviam 4 das 6 pessoas do grupinho. Jarls e Sarls sempre se mantiveram imparciais, segue sendo amigos de todos. No entanto Sarls sempre foi mais minha amiga mesmo do que dos outros kkkk <3. Eu, Larls , Garls, Jarls e Sarls no encontramos e conversamos eventualmente (sem furar a quarentena). Sei que Jarls mantém contato com Vlars, os dois são amigos a mil anos.
Obs.: tive que mudar algumas coisas, não quero que reconheçam caso vejam (apesar de ser pouco provavel) kkkkkkkkkkk
Bom, é isso Lubixco... vendo agora talvez não dê pra monetizar já que vai ter que fazer um vídeo inteiro só para as minhas mais de 1700 palavras.
Besos <3
submitted by miicmic to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.23 14:48 CANAL-DOCE_SALL Meu amigo está namorando...

Infelizmente aconteceu com todos que tem um melhor amigo no qual em todo rolê são inseparáveis... Quando acontece de um melhor amigo namorar não quer dizer que ele vai te abandonar... Mas um dos lados precisa da atenção dele e não se pode lutar contra e nem fazê-lo escolher. Ultimamente tenho me sentido bem em ter falado e saído com meu amigo, só é chato quando fico de vela, mas a gente acostuma e aprende que não há nada mais gratificante do que a amizade de alguém que você considera como irmão
submitted by CANAL-DOCE_SALL to relationship_advice [link] [comments]


2020.06.20 05:05 policemymom SAUDADE SAUDADE SAUDADE

amor, hoje é dia 19 de junho e faz um tempão que eu não te vejo, falta muito pouco pro meu aniversário e eu queria muito te ver. acho que nós nunca ficamos tanto tempo sem nos ver assim, isso tá sendo bem difícil, eu espero que passe logo e eu possa te encher de carinho. apesar de tudo, você tem sido a pessoa mais presente nos meus dias (isso desde quando começamos namorar), nosso relacionamento só evolui pra melhor, a gente sabe se resolver, se entender e se distrair mesmo nesse período tão complicado. agradeço muito por ter alguém como você no mundo, é difícil existir uma pessoa tão boa como você é, tão paciente, compreensiva e interessante. você me desperta vontade de aprender coisas que eu não sei, você me deixa curiosa — principalmente agora que você tem seus cursos, você tá exercitando seu cérebro e ficando bem mais inteligente do que já é, e consequentemente, se você aprende algo novo, eu também aprendo, por mais mínimo que seja eu sei sempre sei de algo diferente por sua causa. e eu sei que quando eu aprendo algo novo você também aprende de alguma forma. isso é uma das principais coisas que eu amo em nós, a gente tem nossos espaços separados, coisas que fazemos sozinhas, mas ainda assim nós sabemos compartilhar uma com a outra. amo seu jeito e tenho carinho por tudo que você ama, mesmo eu não gostando tanto eu me empenho em acompanhar, tipo michael jackson, eu adoro te ouvir falar sobre o que você sabe dele independente se eu gosto da música ou não. eu sempre quero te ouvir falar sobre qualquer coisa. saiba que você é incrível, que eu te admiro mais que qualquer outra pessoa e que eu te amo cada dia mais. obrigada por ser do seu jeito, você é única.
olha esse mashup que eu achei: https://youtu.be/ev4ESucF53U hehe
submitted by policemymom to 2anos [link] [comments]


2020.06.10 14:12 -Yung_ Sou babaca por ofender em rede social o meu ex namorado e xingar uma "ficante" dele de vadia e ter ameaçado cometer suicídio por ter me arrependido disso?

Olá Luba, turma, gatas, possível convidado e etc.
Queria avisar que o meu título sem contexto talvez fique confuso. Queria saber se por conta dessas minhas atitudes serei julgada como babaca. Talvez a história seja grande mas é pra vocês terem noção de tudo e me julgarem como queiram.
Começando: No ano de 2019 para 2020 eu tinha recém começado um relacionamento com um menino da minha classe, vamos apelidar esse menino de H (torço pra que ele não assista seus vídeos se não eu tô ferrada kk), começamos a namorar no dia 30 de outubro e namoramos por 2 meses. Irei poupar detalhes do que ocorreu no dia do término, mas vou resumir: H, terminou comigo em Janeiro, eu sempre fui uma menina muito exagerada/dramática então eu não aceitei muito bem o término, e quando ele declarou o fim do relacionamento (detalhe que o mesmo terminou comigo enquanto a gente andava na rua), eu comecei a chorar igual uma criança mimada, chorei muito e cheguei até a gritar de raiva e ao mesmo tempo desgosto. Desgosto pois uns minutos antes de terminar comigo, ele fez umas coisas que acabou me deixando super magoada. Sendo uma pessoa muito paranóica, eu pensei que ele havia terminado comigo por conta do carnaval, então eu fui cobrar explicações por mensagem, chamei ele no whatsapp e perguntei o porquê dele ter terminado, perguntei se foi por conta do carnaval e ele disse que não, ele também havia me dito que nem vontade de sair pro carnaval ele tinha mais, e eu otária, acreditei. Na semana de carnaval, estava desenhando no meu notebook e fui olhar o whatsapp, sem mensagens mas postaram alguns status, e nos status do amigo do H, tinha videos do mesmo pulando carnaval, festejando e pegando uma garota. Eu na mesma hora fiquei p da vida e dei um socão no teclado do meu notebook o soco foi meio forte e o pc não ligava de jeito nenhum, mas acabou ligando, eu quase quebrei o meu pc por raiva. Eu não fiquei puta por conta dele ter ido pular carnaval e pegar uma menina (ou mais), mas sim por ter dito que não iria pular carnaval E TER IDO PULAR CARNAVAL. Por conta disso e mais vacilos minha saúde mental estava meio mal, mas como adolescente otária não bloqueei ele em lugar algum, mandava indiretinha nos status do zap e comecei a falar dele no meu twitter, pois como eu disse, não tinha aceitado o término e o que eu sentia todos os dias era mais ódio do que tristeza. Quando comecei a falar dele no twitter, semanas depois o mesmo aparece me seguindo e curtiu TODOS os tuítes que eu falava a respeito dele. Então, quando ele começou a me seguir só foi mais um "gatilho" para começar a difamar mais ainda a imagem dele em rede social, foi aí que começou a merda. O ódio e mágoa que eu sentia por ele eram inexplicáveis, tanto que eu fiz até uma "thread" só falando o quão destruída eu tava e falando o quão juvenil ele era. Ele só curtiu todos os tuítes dessa thread e seguiu a vida, penso eu que ele curtia os tuítes por deboche, pois o mesmo não deve se importar com nada do que eu falava dele em rede social. Até que chegou um dia que eu decidi tuitar merda achando que não ia dar em nada, o tuíte era a respeito do meu ex ter pego uma menina que eu particularmente não gostava, não tinha motivo pra eu não gostar dela, eu só não gostava (vamos chamar ela de B) mas um dia ela me deu um pequeno motivo pra ter um rancor pela mesma: enquanto eu ainda tinha um relacionamento com o H, ele era um dos amigos da B, um dia a B ficou meio triste e começou a chorar, eu não sabia o motivo do choro, mas eu falei pro H ir conversar com ela pra tentar consolar a mesma, ele se recusava a ir, então eu não insisti. B provavelmente ficou putassa por conta disso, e enquanto eu beijava o meu ex namorado, a B empurrou a cabeça do meu ex contra a minha, que fez com que o aparelho dele rasgasse um pouco o meu lábio, ficou doendo e o meu lábio ficou com gosto de sangue, mas nada demais. Mas pra mim foi um bom motivo pra não gostar dela. E eu ganhei mais um motivo pra não gostar dela, acabei descobrindo mais tarde que o meu ex ficou com ela ligando alguns pontos, o que me deixou com mais ódio ainda. Eu sei que eu não tenho o direito de controlar com quem ele fica ou não, mas eu ainda amo muito ele e não conseguia lidar com o fato dele ter superado tão fácil, enquanto eu sofro até hoje com isso. Voltando ao tuíte onde eu falava dela, o tuíte dizia mais ou menos "pode continuar pegando a vadia mirim da sua amiga que empurrou a minha cabeça enquanto eu beijava a porra da sua boca." Normalmente eu apago muitos tuítes mas esse eu decidi não apagar (péssima escolha que acabou causando um efeito borboleta), chamei ela de vadia mirim mesmo ela sendo um ano mais nova que eu.
Em um dia qualquer, em plena madrugada, chegaram algumas notificações no meu twitter, umas delas eram respostas a tuítes meus, as respostas eram ofensas (tenho print disso até hj), umas das respostas eram tipo: "vc fez isso pq quis nega, aprende a lidar com os seus erros, pq já custa o mundo ter q lidar com a sua existência nele." Achei que era alguma amiga do H vindo me xingar, porque ele tinha muitas amigas, e também tinham tuitado uma indireta dizendo tipo: "Pra que reclamar tanto do ex aqui? Pqp não enche o saco." Eu nem sabia da existência desse tuite mas acabaram me marcando nele então eu vi. Eu não respondi nenhum dos tuítes, mas eu fiquei completamente triste, fui cobrar o meu ex a respeito disso, achando que eram as amigas, mas ele acabou dizendo que eram as primas dele! Ele disse que falava tudo com as primas e que elas acabaram ficando pistolas com os meus tuítes e foram me difamar. E sobre a B: meu ex disse que ela ficou bem ofendida com o tuíte e que eu fiz ela chorar. Fiquei bem triste e arrependida a respeito disso, tanto que comecei a pensar a respeito de suicídio, eu realmente fiquei muito arrependida, eu sabia que estava errada. Mas eu só queria morrer naquela madrugada eu não queria mais contato algum com ninguém, meu ex já tinha se ligado que eu tava pensando em suicídio tanto que uma prima dele e uma amiga vieram me chamar no whatsapp, as mesmas vieram me confortar falar pra eu pensar direito etc, mas nesse dia eu tava inconsolável e qualquer palavra não servia de nada, eu só sabia chorar. Desliguei o celular e fui dormir, não queria mais pensar nisso, eu tava muito triste. Tanto que no dia seguinte eu escrevi umas 2 cartinhas destinadas pro meu ex, mas eu as joguei fora. Não cometi nenhuma tentativa, mas comecei a praticar a automutilação. Não contei a ninguém sobre isso. Mas eu parei de vez com esse hábito tem alguns dias. Parei de falar sobre ele no twitter mas continuei postando indiretinhas e textinhos pra ele nos status do zap, provavelmente ele não gostava pois semanas depois fui olhar uma conversa minha com ele e vi que o mesmo tinha me bloqueado.
Eu sou a babaca?
Ps: Eu me arrependo de tudo o que eu já fiz a respeito do meu ex relacionamento, tô tentando superar tudo o que eu já passei pois não quero viver nesse passado. Obrigado pra você que leu até aqui.
submitted by -Yung_ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.09 20:20 Snoo8844 Treido pelo ex e a Naja amiga

[A TRAIÇÃO DO MEU NAMORADO COM A MELHOR AMIGA] (Sou do nordeste, aprende a fazer o sotaque direito poxa)
olá lubisco(sonho em casar contigo), editor (gato gostoso), pessoas a ver, possíveis convidados seres binários e não binários, olá mãe, tia e avó, enfim...
Eu sou G-A-Y (escrevi assim pq tenho orgulho), e me descobri aos 14 anos de idade, passei por vários processos com minha família que não vem ao caso agora, aos 15 eu conheci um menino que era PROFESSOR no cursinho que eu fazia estágio, e a gente na hora do almoço comia junto tendeu? Hahahaha Fomos nos aproximando mais e mais até que um dia ele escreveu uma carta pra mim me pedindo em namoro, eu aceitei e começamos a namorar. Nos dois primeiros anos foi ótimo até que (editor coloca efeito de avançar dois anos aí? Obrigado amado, depois te mando um nudes, brincadeira ksksksksks) Até que eu conheci uma menina num grupo do Facebook, como eu havia dito no começo eu tive uns persegues com minha família, e eu participava de grupos de auto ajuda no Facebook, que foi onde é conheço o desmantelo da minha vida, se eu soubesse teria mandado ela ir pra casa do baralho antes... Mas voltando a história, eu conheci ela e ficamos próximos, (avança mais dois anos) no quarto ano de namoro, eu comecei a desconfiar de certas atitudes deles (da Naja com meu ex), tipo, eu estudava em escola integral, entrava pela manhã e saia a noite, e ELA PASSAVA O DIA NA CASA DELE, aí eu comecei a desconfiar, foi quando eu comecei a dar corda (investigar aqui no nordeste) e deixar os dois mais a vontade, FOI AÍ QUE EU DESCOBRIR TUDO (faz voz de choro) Eu larguei da escola e fui pra casa dele, eu tinha a chave de lá, entrei sem fazer barulho, porque eu sabia que eles estavam lá, mas as luzes estavam todas apagadas, procurei eles pela casa toda (a casa tinha 3 andares) e encontrei os dois lá em baixo desnudos, do jeito que vinheram ao mundo, carls e Darls FAZENDO SEXU cara, meu mundo caiu, eu virei as costas pra eles e fui embora (eu nunca fui de fazer barraco nem de brigar, sempre odiei discutir com alguém), fui embora pra casa de tia Carminha... No outro dia ele (o ex descarado) começou a falar comigo pelo Facebook, me mandou vários print da conversa deles mostrando que ela queria separar a gente, foi aí que eu decidi não me segurar mais, mandei um FUCK YOU MATHERFUCK e bloquiei ele até hoje...
Beijos lubisco, te amo, quero casar contigo, se tiver interesse em saber quem sou eu, vou deixar aqui meu instagram, aceita meu pedido e casa comigo, eu sou tão e boa, diz a tia carminha que eu já amo ela como sogra...
submitted by Snoo8844 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 18:39 Sentient-Noodle Sou um adolescente e, apesar da pouca idade, já me sinto inútil

Apesar de ter alguns conhecidos, nunca me senti próximo o suficiente de ninguém pra poder chamar essas pessoas de amigos, também nunca senti como se eu fosse algo assim pra essas pessoas, por essas e outras, decidi postar meu desabafo aqui. Tenho 15 anos, nunca sofri nenhuma perda grave de alguém querido, nem passei por alguma situação terrivelmente triste e, ainda assim, me sinto extremamente triste e vazio. Estou sempre me sentindo triste e cansado, desde que cheguei na fase autoconsciente onde se inicia o desenvolvimento de empatia na infância, meus parentes e conhecidos dizem que eu mudei completamente, antes disso eu era uma criança feliz e alegre, mas quando cheguei nos meus 4-5 anos eu me tornei uma criança sozinha, pra baixo e aparentemente apática, desde então eu não mudei muito.
Sempre fui considerado um prodígio por meus professores e colegas, tinha notas perfeitas e era considerado muito acima da média, no entanto, isso era totalmente desconsiderado por meus pais, que nunca tentaram incentivar minha capacidade, por conta disso eu sinto como se potencial tivesse sido desaproveitado. Minhas "habilidades" me garantiam uma vida escolar boa, nunca tive que estudar para aprender nada, tendo extrema facilidade em aprender qualquer assunto. Mas elas só serviam pra isso mesmo. A maioria das pessoas não se aproximavam de mim, parecia que me viam como alguém arrogante, coisa que não sou, isso fez com que eu me sentisse mal comigo mesmo por algo que eu nem era, acabei desenvolvendo um grande complexo de timidez e culpa e há muito tempo não consigo conversar direito com as pessoas cara a cara, nunca iniciei uma conversa com alguém e, consequentemente, nunca consegui "chegar" numa garota ou namorar, não sou feio nem me visto mal, a única coisa que me impede de conseguir isso é minha vergonha extrema. Recentemente eu mudei de escola e optei por "esconder" que sou inteligente, tinha esperança de que isso fizesse as pessoas finalmente se aproximarem de mim, mas não deu certo, ninguém falou comigo pelo primeiro ano inteiro que estive lá e eu me toquei que os "amigos" que eu tinha antes eram só pessoas que me viam como um meio pra se darem bem. No começo desse ano mudei de sala e decidi voltar a agir normalmente e, como eu suspeitava, algumas pessoas começaram a tentar fazer amizade comigo apenas por interesse no que eu tinha a oferecer.
Isso foi a gota d'água pra mim. Acho que sempre tive alguns traços característicos de depressão, mas as coisas pioraram muito de um tempo pra cá, me sinto extremamente triste e solitário, um inútil completo, a única coisa em que sou bom é em ser esperto e nem isso consigo mais, parece que a tristeza consumiu minha mente, não consigo mais me concentrar, não tenho motivação pra fazer nada, passo meu dia todo deitado com a porta trancada e a cortina fechada, mexendo na internet, trocando o dia pela noite. Sei que ainda sou muito novo, mas já perdi as esperanças de ter um futuro de sucesso, uma boa carreira ou realizar meus sonhos. Não sei o que fazer pra me sentir melhor comigo mesmo, se puderem me ajudar com alguma mensagem já seria suficiente, peço desculpas se eu tiver me repetido em algum momento no texto ou se algo soar incoerente, eu apenas fui escrevendo o que sentia e vinha à mente sem olhar. Se você leu até aqui, muito obrigado por dedicar mesmo que um pouco do seu tempo à mim.
submitted by Sentient-Noodle to desabafos [link] [comments]


2020.06.06 04:40 jhinjhinjinx Sou a babaca por ter saído escondido de casa para ver meu namorado?

Olá Luba, editores, gatas, restos de papelões e turma que está a ver. Quero começar essa história com um aviso: ISSO FOI ANTES DO CORINGA E QUARENTENA!
Bom, antes quero dar um pequeno contexto em como fui criada. Desde quando nasci, meus pais SEMPRE passavam a mão na minha cabeça falando que estava tudo bem e que qualquer problema que eu tinha, eu pudia ir correndo para eles que iriam resolver (pais super protetores resumindo), sempre dependia deles. Eles nunca conversavam sobre assuntos necessários e importantes da vida como sexualidade, futuro, amor, sentimentos, tudo que, na cabeça deles, não me faria mais "pura" (pra vocês terem noção, eu só fui saber o que era menstruação quando eu tive aos 9 anos COM UMA AMIGA EM CASA e eu desesperada falando "MÃE, MINHA PIRIQUITA TA SANGRANDO, EU VOU MORRER"; ou quando eu estava na loja do meu pai, ele atendendo cliente e eu berrei "PAI, O QUE É PÊNIS????" ai eu pesquisei no Google e caiu a ficha).
Enfim, moro em apartamento por 18-19 anos sem saber muito como realmente era a vida, andar sozinha por qualquer lugar (nem mesmo no quarteirão de casa) nunca foi uma opção, minha mãe falava que ia junto, meu pai ou meu irmão mas eu SEMPRE tinha que estar acompanhada (já meu irmão nunca precisou disso k, ja vão entender porque falei isso); Então, comecei a ficar mais "rebelde" por assim dizer, minha depressão começou a aparecer com o bullying na escola, minha mãe me batendo por eu chorar porque não queria voltar naquela escola pois era cara e meus pais não tinham condições de ficar pagando escola sendo que eu não ia (surpresa, repeti de ano), assim foi minha pré-adolescência.
Desde quando comecei a entrar na fase emo, minha mãe ficava puta comigo por querer fazer um piercing mas falava "espero que doa pra você aprender e nunca mais fazer isso" resultado: alguns anos depois furei meu septo. Então ela sempre gosta que eu quebre a cara pra poder aprender as coisas, já meu pai nunca fazia nada, ficava no quarto dele quando me ouvia chorar e começava a rezar desejando meu bem (meus avós por parte de pai são pastores).
Bem, quando fiz meus 18, comecei a namorar o Carls e ele foi/ é a pessoa que começou a abrir meus olhos sobre a realidade do mundo, porem ele entrou na pior crise possível, tentou se matar 2 vezes e quando eu queria ir ver ele no hospital (graças a deus ele conseguiu pedir ajuda e ele ficou alguns dias internado) meus pais não deixavam de jeito algum eu sair pra ver ele, falando que era mentira, que não era problema meu, não devia me preocupar (sendo que quando eu via ele depois do acontecido, dava pra ver com clareza os cortes nos braços e pernas dele).
Nisso passou algumas semanas e a segunda vez aconteceu, com um pouco mais de confiança que eu tinha, chamei um uber as 11 da manha pra ir na casa dele, ajudar mas eu não contei pra minha mãe (que estava dormindo em casa) e quando ela me mandou mensagem, menti pra ela falando que estava com um dos meus melhores amigos só que ela sabia que não era verdade. Algumas horas depois, minha mãe chega com meu irmão no carro e começa a berrar comigo falando que eu tava parecendo uma ladra, que "você não tem mãe em casa pra avisar né?" na frente da casa do Carls, fazendo o maior espetáculo, os vizinhos olhando tanto que até a minha sogra foi ver o que tava acontecendo, Carls falou cara a cara com minha mãe, me defendendo falando que eu não posso mais ficar trancada dentro de casa esperando eles fazerem mais coisas por mim, etc.
Acabou que fui pra casa ouvindo sermão, xingo, tudo que é possível na meia hora de viagem que é do ap pra casa dele (fiquei quieta o tempo todo). Quando cheguei em casa, fui direto pro meu quarto sem olhar mais na cara de ninguém até as 18 que foi o horário que meu pai chegava do serviço, ai o show começou, fiquei falando que EU tinha pagado o uber, EU fui até lá, que eu tinha que ir lá se não dessa vez o Carls realmente ia morrer por conta do estado físico e emocional dele. Meus pais usaram o típico argumento "enquanto você estiver no meu teto, eu mando aqui e na sua vida" só que assim, querendo ou não, não foram eles que bancaram a viagem, não foram eles que estavam vendo o estado que o Carls tava. Ai meu pai lança A BRABA falando "eu não acredito que ele fez tudo essas coisas" meu sangue ferveu na hora, então eu falei "você viu o que eu vi? você ouviu o que eu ouvi? não né? então não julga as coisas/ pessoas que tu não tem a minima noção de como é/são" porque eu mesma já quase morri e meus pais até hoje não sabem disso, esses assuntos realmente mexem comigo de qualquer jeito, mas ouvir aquilo sair do meu pai mostrou a empatia inexistente que ele tinha tanto pelo Carls quanto pra qualquer outra pessoa passando pela situação.
Meu pai foi o que eu mais bati de frente porque minha mãe já tinha falado "deixa ela com esse menino, depois eles terminam quero ver pra quem ela vai correr" então meu pai lança mais uma pérola falando "primeiro que mulher só tem independência aos 21 anos, então não adianta falar que você tem 18 porque ainda é uma criança" lembram que eu falei que só eu precisava andar acompanhada? pois então, nesse momento fiz igual a Lolly, eu apontei na cara dele e falei "você é um MAXISTA!" Isso quebrou muito ele, acho que nunca tinha escutado algo assim principalmente da filha, então ficou inventando desculpinha e se perdia no meio das palavras (e todos aplaudiram, mentira).
Hoje em dia, meus pais colocaram mais um cadeado na porta de casa pra eu não fazer de novo e até hoje sou vista como a completa errada, sem noção, senso e sem respeito pelos meus pais (minha mãe é a unica que fala normal comigo e realmente ta se "preocupando", me fazendo comer e beber água porque faz algumas semanas que estou em uma dieta extremamente radical enquanto meu pai e meu irmão nem se quer olham pra mim).
Depois dessa história longa pra cacete (que ainda tem muito mais também KKKKK) o que vocês acham? Eu sou a babaca?
OBS.: eu entendo completamente minha mãe ter perdido o temperamento quando me viu la na casa do Carls por estar preocupada mas ela não podia pelo menos pegar e guardar pra explodir no carro ou em casa já que ela sempre fez isso?;
OBS.2: também não acordei a minha mãe (sei que deveria ter falando aonde eu realmente ia, foi errado eu querer mentir mas fiz isso porque sabia que iriam me impedir de qualquer forma) pois estava com medo do que Carls poderia fazer, já que ele não me respondia mais, querendo ou não, a vida dele estava em jogo naquele momento, se eu parasse pra explicar, poderia ser tarde demais. E menti que estava com meu melhor amigo porque minha mãe sempre confiou muito nele entao como eu queria passar o máximo de tempo com Carls pra acalma-lo e mostrar que ainda tem muita vida pela frente (o que deu certo e estamos juntos até hoje);
OBS.3: NÃO ESTAMOS CORTANDO A QUARENTENA PARA VER UM AO OUTRO.
View Poll
submitted by jhinjhinjinx to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 04:30 vitorinha- A amiga ciumenta possessiva

Olá turma,gatas,papelões,editores e td mundo que está a ver. Bom minha história começa ano passado em maio qnd comecei a cnvrs c uma menina( chama ela de N ) e nós nos aproximamos rapidamente , porém ela tinha outra amg de anos(chama ela de B);eu morava em uma cidade a 40 minutos da delas é comecei a frequentar bastante lá e a namorar um garoto de lá(outra longa história), e a cada vez fui me aproximando mais e mais delas;em dezembro eu acabei sendo “trocada” pelo meu namorado que já era ex mas que dizia que voltaria cmg e que me amava só estava esperando eu me mudar(outro detalhe importante me mudei por causa que estou sofrendo de depressao e minha mãe queria q eu ficasse mais perto das minhas melhores amigas e namorado)por outra garota e fiquei muito mal do tp mt mal msm e tentei cnvrs c essas amgs mas elas sumiram e me respondiam de maneira seca e qnd respondiam. Passou um mês eu voltei e me encontrei c elas e me trataram como se nada tivesse acontecido e eu fui no fluxo delas pra n estressar ngm nem nd, e nesse dia tava tendo um evento na cidade e era o último dia da festa a N namorava o Carls fazia umas semanas e naquele dia ela já havia ido embora ent o Carl’s pediu p ficar cmg e eu rejeitei porém fiquei c medo de falar c a N e ela n acreditar em mim , ent fui falar c a B q era amg dela a mais tempo e ela falou q n era p eu falar pq a N tinha q aprender as coisas sozinhas e q n era p eu mandar aqueles áudios dela p N e eu como boa trouxa q sou n fiz isso e dps a B contou sozinha mas a N nn ligou mt pois n gst dele de vdd. Ent eu estava lá já e mt próxima das duas qnd ela começaram a se desentender muito,qnd a gnt combinou de sair no sábado mas a N foi encontrar o namorado e eu e a B ficamos meio chateadas e combinamos de no dia seguinte sair apenas nòs duas, ent ela mandou mensagem falando q já tava chegando e eu me arrumei e td mais e começou a demorar mt p ela chegar e td mais e eu fiquei mt preocupada e fui atrás dela e andei mt e n encontrei , voltei correndo p casa e ela tinha mandado mensagem falando q acabou Indo p casa da N onde tava o namorado da N , a N , o meu ex , a atual e a B e e eu fui praticamente abandonada ( n sei se pode se falar assim mas) e me senti mal dms e elas postavam fts e td c Tds juntos e nem privava p eu n ver . Fiquei mt puta mas acabei perdoando , ent elas começaram a se desentender mt e uns dias antes de começar a quarentena a B foi na minha casa e falou mts coisas horríveis do tp horríveis msm sobre a N e eu fiquei assustada mas achei q era um jeito de ela desabafar sla; e naquele msm fim de semana elas viajaram juntas e no dia do aniversário da N a B falou q eu q tinha falado Tds aquelas coisas horríveis da N e a N acabou acreditando nela e parou de falar cmg e eu fiquei mt mal n saia da cama , n comia e n queria falar c ngm , ent a B me mandou mensagem pedindo dsclp dizendo q tinha brigado c a N e falou mt mal da N dnv mas eu salvei Tds as cnvrs e áudios dessa vez e dias dps a N veio falar cmg pedindo dsclp e dizendo q deveria ter vindo falar cmg pedindo explicações e ent começamos a cnvrs e eu mandei Tds os áudios e prints e expliquei td a história e agr estamos amgs dnv eu n sei se to sendo trouxa mas eu gst mt dela e foi uma garota q qnd a gnt se conheceu me ajudou mt . Ontem à B mandou mensagem p N jogando td culpa nela e falando q eu estava mentindo , provavelmente ela esperava q a N abaixa-se a cabeça p ela( igual a N sempre fazia) e perdoado ela , p B poder ir p casa da N já q o primo da N iria p lá esse fim de semana e eles já ficavam a um bom tempo mas a N acabou n perdoando mas ela abaixa mt a cabeça p B e eu abri p jogo falando q ela era abusiva , tóxica e ciumenta dms c a N e q se ela voltasse a andar c a B eu n ia mais andar c ela . Eu sou babaca de ter falado isso?
submitted by vitorinha- to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.02 22:34 Sr_Fernando12 SOU BABACA POR CANSAR DE CORRER ATRÁS DE UM AMIGO QUE SEMPRE ME DEIXOU DE LADO.

Ola luba, turma, gatas e finados bonecos de papeloes.
Bom minha história aconteceu ano passado, no caso 2019, não sei se algum dia o luba vai ver kkkkk.
Então vamo a historia, em 2018 eu fazia o 9 ano, e era um aluno normal tirava nota boa e tals, mais o menos no mes de agosto eu me aproximei de um colega da minha turma e viramos melhores amigos, ate o ano passado 2019, bom vou tentar ñ estender muito apesar de ser bem grande essa historia, a gente foi junto para a nova escola cursar o ensino medio, ate ai ainda eramos melhores amigos, então mais o menos no mes de abril ele começou a namorar uma menina da nossa turma, vou chama-la de carol, e vamos chamar ele de carlos, o meu nome eu uso o meu msm no caso Fernando kkkkk, luba eu sempre ajudava ele pra ver ele feliz, e ñ foi diferente quando ele começou a namorar, a familia dela era totalmente contra o namoro deles e a mae dela falou que ia tirar a menina da escola se eles não acabassem, e porque ela tava tirando notas baixas e tals, entt eu peguei o numero da mae dela para conversar e tentar convencer ela de ñ tirar a guria da escola, obs: eu nunca tinha visto a mae dela e nunca tinha conversado, mas mesmo assim eu fui e conversei com ela. Bom nessa conversar eu conversei com ela, essa mulher era muito brava e tava decidida a tirar ela da escola, eu fiquei cerca de 2 horas falando com uma mulher que ñ conhecia so pra ela ñ tirar a namorada dele da escola, eu prometi pra mae dela que iria ajudar nas atividades da guria para ela tirar notas boas, obs: eu ia pra escola so pra zoar ñ estudava, e comecei a estudar so pra aprender e ensinar a ela, e assim eu fiz, durante uns 2 meses fiz isso, e tava funcionando ela melhorou um pouco as notas e estávamos bens, mais dai os pais dela aceitou o namoro deles dois, e começaram a se afastar de mim, e eu ate entendia que eles queriam o espaço deles, mas eles pararam de falar comigo na escola e em todos lugares, a gente sentava do lado um do outro, sempre que tentava puxar assunto eles falavam com grosseiria e saiam de perto, ai eu fui e conversei com o Carlos, perguntando pq eles se afastaram, ele falou que ñ estava se afastando que era coisa da minha cabeça e tals, eu fiquei uns dias sem pensar nisso, achei que ia voltar ao normal, entt um dia qualquer a carol me mandou mensagem e falou que ñ ia mais falar comigo pq o carlos tinha ciúmes, isso me derrubou pq ele podia ter ciúmes de muita gente mas de mim? Que ajudou eles a ficarem juntos, entt fui perguntar a ele se era vrdd, e ele disse que ss e que era melhor que a gente ñ se fala-se mais, e se afastaram, isso me deixou muito mal, pq ele era pra mim meu melhor amigo pra mim ele era um irmão, entt luba quando eles fizeram isso eu estava morando sozinho pq tive uma briga em casa e fui morar sozinho, a partir desse dia eu fiquei muito mal porque sentia falta dele, e entt entrei em depressão porque ñ tinha com quem conversar morava sozinho, e sempre via meu melhor amigo na escola e nunca ele vinha falar comigo, e ficou nisso por mais uns meses, luba eu tentei me suicidar algumas vezes pq ñ aguentava mais ficar naquela situação, onde ñ tinha ninguem que eu confiace pra falar, mais ñ fiz isso pq alguma coisa me dizia pra seguir enfrente, quando eu ja estava quase bem, ele voltou a falar comigo, e eu fiquei feliz pq finalmente iamos voltar a amizade, ficamos amigos de novo, mas não sei porque a carol, não aceitava isso, e começou a inventar mentiras pra ele, pra ele deixar de ser meu amigo e infelizmente ela conseguiu, ele novamente se afastou e deixou de falar comigo, eu voltei a ficar triste mais eu nao voltei a ficar tao mal quanto fiquei da outra vez, bem acabou o ano de 2019 e começou o de 2020, eu reprovei de ano pq ñ conseguia estudar passando por tudo isso que falei, e para meu azar os dois tambem reprovaram, na primeira semana de aula apenas o carlos estava indo pra escola, a carol ñ estava indo e adivinha, nos aproximamos dnovo, e voltamos a ser amigos, voltei a ir na casa dele a dormir la e tals, tava tudo indo bem pq eu ja ñ era tão sensivel a nossa amizade, mas do nada ele criou uma discussão no Whatsapp, me bloqueou la no zap, foi no instagram e comentou em uma foto dele onde eu tinha comentado, ele comentou o seguinte "Faça o favor de deixa a carol em paz e me deixe em paz tambem, nunca mais va na minha casa, e nunca mais fale comigo". Outra vez ele brigou comigo, porem dessa vez eu não me abalei muito, porem fiquei uns dias mal pq ele era pra mim como irmão e sempre que lembro dele sinto falta, ate hj tenho fotos com ele pq não consigo apagar do meu cell,mas ñ vou mais atras dele, pq sempre ele vai ficar do lado dela não importa oque eu fizer, obg por ler.
submitted by Sr_Fernando12 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.23 00:47 afonsorei O relacionamento de um gay e Deus.

[texto longo]
Eu nasci em família evangélica, filho de um pastor. Sempre frequentei a igreja desde pequeno e fui criado na palavra de Deus, mas sempre fui atraído por pessoas do mesmo sexo. Quando eu era pequeno não entendia isso e ignorava, mas quando cresci fui entendendo o que era e tentei de todas as formas sufocar isso.
No começo eu fiz isso pela minha família, pois eu cansava de ouvir dos meus pais "prefiro ter um filho morto a um filho gay", mas no fundo eu queria ter um bom relacionamento com Deus, até porque eu acreditava/acredito nele. Então me enfiei em todas as atividades dentro da igreja, como ajudar no louvor, arrumação e etc, na premissa de que "se eu não tenho tempo para pensar nisso ou ser tentado, vai ficar tudo bem". Eu lia a bíblia todos os dias, orava todos o dias e pedia pra Deus me ajudar com isso, pra tirar isso do meu coração. Fiz até um seminário teológico de base para aprender mais sobre a bíblia.
Mas em um determinado momento eu não aguentei, isso me corroia de tal forma que eu tentei suicídio por overdose de um calmante tarja preta. Não morri, obviamente, mas fui parar no hospital e dormi por alguns dias. Meus pais ficaram preocupados e descobriram tudo, e me fizeram prometer a eles que eu não tentaria mais isso. Depois de tudo isso eu comecei a tomar remédios para a depressão e ansiedade e a me tratar com psicólogos. Mas fiquei muito triste e desanimado com tudo, especificamente com Deus (eu esperava um cura, mas se ele pelo menos tivesse me dado uma resposta - mesmo que fosse "você não vai ser curado" - eu ficaria feliz).
Então comecei a viver minha vida da própria forma, fazendo o bem sem olhar a quem e não me negando, se eu gostasse de alguém eu iria ficar ou namorar com aquela pessoa. Meus pais, depois de tudo isso, ainda fingem demência com respeito a minha sexualidade, o que me machuca muito. Eu comecei a namorar um menino e o amava e ainda amo muito, mas meus pais não aceitaram isso bem, me proibindo até de trazê-lo para conhecê-los. Estava tudo bem com a gente, ele me ajudava e ajuda até hoje em todas as questões de ansiedade e depressão, era realmente alguém que me amava e se importava comigo, mas no fundo eu ficava pensando a respeito de Deus, se o que eu estava fazendo era pecado e era certo, então eu terminei com ele, mesmo o amando.
Meus pais nem sequer sabem que eu terminei com ele (até porque não tem interesse em saber, e eu não contei porque não faz diferença) e alguns dias atrás tentaram me enfiar um curar gay, dizendo que eu poderia melhorar se eu quisesse (mesmo eu já tendo tentado de tudo, e quando eu digo tudo é TUDO mesmo). Tudo isso me machuca e me sufoca
Eu não consigo viver como um cristão e não consigo viver como um gay. Não importa o que eu faça eu não consigo. Eu não sei se alguém vai comentar com "você precisa se aceitar", mas eu não consigo, porque no fundo acho que é errado. Mas ao mesmo tempo me pergunto: "se eu amo alguém genuinamente, e todo o amor (e quando digo amor, é aquele amor verdadeiro) provém de Cristo, por que isso é errado?".
Hoje eu vivo cercado pelos meus pais que são pastores, me dizendo que estou em pecado, me falando sobre visões e profecias dos fins do tempo, me falando sobre inferno e a única coisa que eu consigo sentir é medo. Eu não consigo ser feliz aqui e acredito que de alguma forma já estou destinado ao inferno. Abandonei uma pessoa que me amava e me sinto sozinho. No momento a única coisa que me impede de tentar suicídio são os antidepressivos e a terapia, mas eu já não sinto mais vontade de viver.
submitted by afonsorei to desabafos [link] [comments]


2020.04.21 16:22 sspaceboy Frustrações da vida adulta

bom, vou contar uma história, talvez ela fique um pouco longa.
durante o ensino médio eu tinha certeza de que ia morrer logo. sempre fui uma pessoa de extremos e bastante inconsequente, e isso aliado a muito álcool, muita raiva e toda a estupidez adolescente minha e dos meus amigos da época fez com que o tempo todo eu buscasse morrer, era divertido e se eu não morresse, ao menos eu teria história pra contar. ficar na mira de uma arma, me jogar na frente de um carro, ser perseguido pela polícia, tudo isso era absolutamente divertido. acontece algo, me afasto de todos, começo a namorar e passo a viver um processo de calmaria, que de certa forma dura até hoje.
passada toda a raiva e vontade de que tudo acabe, passo a acreditar em tudo de bom que o mundo tem a oferecer. quero dizer, há tanta coisa boa, por quê essas coisas simplesmente não são a maioria? por que não são elas que se destacam? isso me fez querer estudar pra entender o mundo, a sociedade, essas coisas. com isso eu ingresso no curso de Ciências Sociais. logo vem a frustração: não há emprego. eu não tenho o que fazer, por melhor que eu seja, pois como eu, nordestino favelado vou competir com filho de professor, que já entra no curso sabendo de tudo, conseguindo publicar artigo, participando de pesquisa, ganhando bolsa? estou muito atrás. sempre tive facilidade com computador, sempre gostei muito da área, por quê não vou entrando nessa área, mas sem abandonar as ciências sociais, que de certa forma eu gosto tanto?
aparece uma oportunidade: um curso técnico em desenvolvimento de sistemas. a melhor parte: não vou precisar sair da faculdade, pois ele é à distância e vou poder fazer os dois ao mesmo tempo, além disso é grátis. frustração: o curso é péssimo, os professores não tem nenhuma didática, mas eu estou encantado com a área, além disso há abundância de material na internet, eu só preciso ler tudo. frustração: o peso de ser medíocre nas duas áreas bate, eu me sinto mal, paralisado, não consigo mais fazer nada. quase perco o semestre na faculdade e não consigo estudar tanto quanto eu deveria, tanto no superior quanto no técnico.
quarentena, e não há um só instante em que eu não pense em desistir de tudo. a graduação está no final mas eu não tenho nenhuma perspectiva na área. tem tanta coisa que eu gostaria de fazer, tanta coisa pra ser estudada e que poderiam resultar em boas pesquisas, mas não, eu sou medíocre, não teria como realizar isso tudo. no técnico eu sou uma piada, não consigo aprender muita coisa, o que eu sei de programação aprendi por fora, e não conseguir ler e estudar tudo envolvendo meus interesses é completamente frustrante. eu sou uma piada e jamais conseguirei emprego na área, e mesmo se conseguir, acredito que não seria feliz. o que me aproximou de computadores, desde criança, sempre foi um sonho em ser hacker, mas que eu nada fiz para conseguir realizá-lo. e bom, até hoje eu mantenho esse sonho, mas provavelmente seja um daqueles que a gente alimenta só pra poder fantasiar, sabe? precisamos dessas utopias pra conseguir seguir. e é isso, essa área me encanta pois ainda me possibilita aprender, descobrir o novo. espero que não seja tarde demais, e que eu encontre de novo a força de vontade que por um curto período de tempo eu tive.
submitted by sspaceboy to desabafos [link] [comments]


Aprender a Nadar DICAS PARA BEIJAR GOSTOSO - YouTube Aprender a nadar: Pasos iniciales. Ejercicios - YouTube Cómo Enamorar A Una Mujer ¡SIN INTENTARLO! - YouTube Como Enamorar A Una Chica - Aprende Estos Trucos! - YouTube Cómo enamorar con palabras  La psicología de la atracción ... O que faz uma pessoa se apaixonar? MEU FILHO ESTÁ NAMORANDO - YouTube PAQUERA VIRTUAL - YouTube

  1. Aprender a Nadar
  2. DICAS PARA BEIJAR GOSTOSO - YouTube
  3. Aprender a nadar: Pasos iniciales. Ejercicios - YouTube
  4. Cómo Enamorar A Una Mujer ¡SIN INTENTARLO! - YouTube
  5. Como Enamorar A Una Chica - Aprende Estos Trucos! - YouTube
  6. Cómo enamorar con palabras La psicología de la atracción ...
  7. O que faz uma pessoa se apaixonar?
  8. MEU FILHO ESTÁ NAMORANDO - YouTube
  9. PAQUERA VIRTUAL - YouTube
  10. Aprendendo a Namorar - YouTube

Utiliza estos 6 trucos psicológicos para enamorar a hombres y mujeres: Su cerebro les dirá que eres el más atractivo o la más atractiva 😍😍😍 SUSCRÍBETE AQUÍ: ... O projeto de Oficina de Cinema e produção de vídeos da EMEF Henrique Souza Filho – Henfil propõe aos alunos e a toda comunidade escolar a oportunidade de exp... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. NadarBem Aprender a nadar relaxado e sem esforço. Check out Facebook Group https://www.facebook.com/groups/nadarbem [email protected] Music: 'Fun' by 'Drake... Cómo Enamorar A Una Mujer. LIBRO GRATIS 30 errores peligrosos que espantan a una mujer: http://atraccionla.com/youtube/ Curso gratis 10 fotos de perfil que u... agora meu filho deu pra namorar com uma garota de 13 anos kkkkk vÊ se eu posso com isso . espero que vocÊs curtam mais um episÓdio dessa serie : adotando uma... Neste vídeo você vai descobrir qual fator da atração é o principal causador da paixão. Você vai conhecer algumas maneiras de agir que promovem o surgimento d... Aprender a nadar. Perder el miedo al agua. Aprender a flotar. Curso completo en videos, ejercicios, fotos y pdf en nuestro website: http://videosnatacion.com... → http://como-conquistaraunamujer.com/blog/tys Mas Cosas GRATIS Al Hacer Clic Aquí y descubre como puedes desde ya saber como enamorar a una chica, y dejar d... CANAL NOVO! - https://www.youtube.com/channel/UC9fsP1DEr0FLldvXC36th2g Instagram: - ( @jennyprin ) http://bit.ly/JennyferJackeline - ( @matheusgiachetta) h...